Denúncias de maus-tratos contra cães, gatos e cavalos sobem 64% no DF

Denúncias de maus-tratos contra cães, gatos e cavalos sobem 64% no DF
Um dos animais estava morto quando a polícia chegou ao local - Imagens cedidas ao Metrópoles

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) registrou 958 boletins de ocorrências denunciando casos de maus-tratos e crueldade contra cães, gatos e outros animais entre 2019 e 2021. O número aumenta a cada ano. Em 2019, foram 243 ocorrências. No decorrer de 2020, o número saltou para 315. E ao final de 2021, o total chegou a 400. Ou seja, crescimento foi de 64,6%.

As 10 regiões com o maior número de ocorrências são Ceilândia, Samambaia, Brasília, Sobradinho II, Planaltina, Guará, Gama, Sobradinho, Taguatinga e Águas Claras.

Após denúncias, nove cães foram resgatados de um canil clandestino, em São Sebastião, em 16 de janeiro deste ano. Os animais estavam em situação insalubre, maltratados, doentes, famintos, sujos e, um deles, infelizmente, estava morto. A operação foi conduzida pela 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião). O canil clandestino vendia os filhotes por R$ 800.

Veja vídeo do local:

Consciência

Na avaliação da representante da Comissão de Direito Animal da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional DF (OAB-DF), Ana Paula Vasconcelos, a população do DF está mais consciente e não tolera mais a covardia contra os bichos.

Além disso, a Lei Sansão (Lei nº 1.095/2019) trouxe penas mais duras contra os agressores. A legislação prevê de 2 a 5 anos de reclusão além da perda da guarda do animal.

A população pode apresentar denúncias para a PCDF, nas delegacias ou no link. O Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) pode ser acionado 24 horas por dia, pelo telefone 190.

Veja o balanço em detalhes:

Maus-tratos a Animais (2019… by Metropoles

Celeridade

A celeridade da resposta das forças de segurança também contribui para o aumento das denúncias. Neste ano, o atropelamento de uma cachorrinha em um condomínio residencial, no Paranoá, chocou a população.

Após passar por cima do animal, o motorista fugiu sem prestar socorro. Pouco tempo depois, agentes da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) prenderam o acusado.

Por Francisco Dutra

Fonte: Metrópoles

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.