Depois de queimada viva, cadelinha pode ser expulsa de igreja na PB

Depois de queimada viva, cadelinha pode ser expulsa de igreja na PB

“Ele (o padre) falou até em sacrificar, mas ela [Adelaíde] não tem doença e não é minha. Apenas cuido dela, mas ela é de rua”, disse Jéssica.

A cadelinha Adelaíde, que comoveu as redes sociais no ano passado após ser queimada com água quente, agora volta a ser motivo de polêmica na cidade de Monte Horebe, região de Cajazeiras.

Adelaíde é uma assídua frequentadora da Igreja Matriz da cidade, da escola, da Praça, em fim, uma moradora da rua, mas há quatro anos é alimentada, cuidada e medicada pela jovem vendedora Jéssica Dias.

PB Monte Horebe ma cadel262 300x203Ela entrou em contato com a reportagem do Diário do Sertão nesta sexta-eira (27), para confidenciar que o novo administrador paroquial, Francisco Mendes (Padre Mendes) não aceita a presença da cachorra na Igreja e já lhe pediu uma solução imediata.

De acordo com Jéssica, o padre alega que a cadelinha, que não perde uma só missa, fica com as “pernas abertas no altar”, além de ser um local para seres racionais, a cachorra é “fedorenta”.

A vendedora informou que o assunto tem gerado mal estar na cidade, pois o Padre Mendes foi o primeiro a se opor a presença de Adelaíde na igreja.

“Ele falou até em sacrificar, mas ela [Adelaíde] não tem doença. E ela não é minha. Eu apenas cuido dela, mas ela é de rua”, revelou Jéssica Dias.

O outro lado

Procurado pela reportagem do Diário do Sertão, o padre contou que Adelaíde anda incomodando muito, porque suja a igreja e as crianças que freqüentam o local ficam brincando com a cadela correndo risco de doenças.

Francisca Mendes explicou que a cachorra está doente e fica se coçando durante a celebração e perdendo os pelos.

Ele alegou que Jéssica diz não ser tutora da cachorra, mas prometeu procurar as autoridades para resolver o caso da melhor forma.

Fonte: Diário do Sertão 

Nota do Olhar Animal: A Diocese de Cajazeiras, a qual está vinculada a paróquia de Monte Horebe, pode ser contatada por aqui: http://diocajazeiras.com.br/contato/. E a página da Diocese no Facebook é https://www.facebook.com/diocesecajazeiras/

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.