Depois de ser resgatado sem perna, gato passou por cirurgia com ajuda de doações e tem um novo lar

Depois de ser resgatado sem perna, gato passou por cirurgia com ajuda de doações e tem um novo lar

Por Isabela Mercuri

Depois de ficar mais de uma semana internado, o gatinho resgatado pelo jornalista Márcio Camilo já foi operado, e também tem um novo lar. No entanto, ele continua na clínica até o final da semana. Todo o dinheiro do tratamento foi arrecadado por doações.

O animal foi encontrado em Cuiabá, MT, no último dia 8 (sexta-feira), sem uma das pernas e com as vísceras à mostra. No veterinário, Márcio foi informado que provavelmente o gato estava sem socorro há três dias, porque a pele estava ‘cozida’.

De início, o tratamento foi taxado em R$3850 (cirurgia, antibióticos, injeções e comprimidos). Depois de começar a campanha, o jornalista o transferiu para uma clínica que trabalha com Organizações Não Governamentais (ONGs) como a Associação Voz Animal (AVA). Assim, o preço caiu para R$1500. “Foram arrecadados R$2100, sobrou uma parte do dinheiro para pagar as diárias. Os R$400 restantes vamos doar para uma prganização de proteção animal ainda não definida”, explica Márcio.

O dinheiro para o tratamento foi todo arrecadado, e uma das doadoras, a jornalista Nadja Vasques, se dispôs a adotá-lo: “No início eu achei que ele não ia se recuperar. Principalmente porque ficou tanto tempo sem tratamento”, conta. “Decidi ficar com ele, disse pro Márcio que ele não poderia morar na rua desse jeito”.

Nadja afirma que decidiu adotar o animal porque é apaixonada por gatos. “Esse é meu oitavo, já tenho sete em casa. (…) Fui visitá-lo na quinta-feira e o veterinário me disse que até o final desta semana ele deve estar 100% para ir pra casa”.

Recuperado, o gatinho já ganhou até um nome: Bento. “Significa abençoado. Acho que ele é abençoado porque foi socorrido pelo Márcio, porque sobreviveu e porque vai ter uma família e uma casa”, finaliza a nova tutora.

Fonte: Olhar Direto

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.