Desespero no deserto da Jordânia: burros escravizados pelo turismo enfrentam sede e cães sofrem com raiva

Desespero no deserto da Jordânia: burros escravizados pelo turismo enfrentam sede e cães sofrem com raiva

Em Petra, na Jordânia, uma crise recente acentuou o sofrimento de burros que são usados para transportar turistas ao longo de quilômetros de terreno poeirento e rochoso no deserto. No calor sufocante, o único cocho que fornecia alívio para esses animais secou, e nenhum caminhão de água veio enchê-lo por cinco longos dias. Os burros foram forçados a trabalhar sem água em meio às elevadas temperaturas.

Desespero no deserto: burros e cães enfrentam duas crises

Como se isso não fosse suficientemente angustiante, um surto de raiva entre cães de rua colocou em risco a segurança de todos, inclusive a dos animais de trabalho e de seus condutores. A clínica veterinária apoiada pela PETA ligou repetidamente para que as autoridades agissem em favor dos burros desidratados. Mas os dias escaldantes se passaram sem que houvesse uma ação para reabastecer o cocho. Imagine o sofrimento desses burros – já exaustos por transportarem turistas e agora sofrendo o tormento da desidratação severa.

Finalmente, depois de muitos apelos urgentes às autoridades, alguém deu ouvidos. O cocho foi finalmente reabastecido, proporcionando um doce alívio. Essa crise combinada é apenas o mais recente problema em Petra. Os animais sofrem rotineiramente com espancamentos e possuem lesões causadas pelas selas mal ajustadas e pelas correntes que cravam em seus focinhos, comem plástico enquanto procuram comida e muitos ficam mancos em razão do solo rochoso. Os turistas são culpados por quererem uma experiência “tradicional”, quando os habitantes locais deveriam ser incentivados a ganhar a vida de outras maneiras: com carrinhos elétricos, um refúgio para burros e camelos que cobra uma taxa de entrada, visitas guiadas a pé e venda de artesanato.

Desespero no deserto: burros e cães enfrentam duas crises

A equipe da clínica encontrou seis cães com raiva em apenas uma semana, incluindo dois filhotes. Não há cura e a morte é lenta e dolorosa. Essa doença de aterrorizante ataca o cérebro, e os cães que a sofrem não conseguem engolir ou beber, caminham descontroladamente com uma loucura delirante que muitas vezes os faz atacar, mordendo humanos, outros animais e até mesmo objetos inanimados e o ar. A equipe pede que a comunidade ligue para a linha de emergência caso alguém precise de ajuda.

A prevenção é fundamental para o controle dessa grave doença. E a equipe apoiada pela PETA em Petra está vacinando todos os cães que encontrar, se já não for tarde demais.

Como você pode ajudar a PETA a promover mudanças para os animais em Petra

Viajantes de qualquer parte do mundo devem ter o cuidado de evitar qualquer atividade que explore os animais e apoiar apenas as empresas de turismo que prontamente excluem essas atrações cruéis de suas ofertas. Burros, camelos, cavalos e outros animais ainda usados como se estivessem em outro século e merecem compaixão e paz tanto quanto qualquer ser humano. Até que uma mudança significativa seja alcançada, essas emergências angustiantes continuarão.

A clínica veterinária de Petra, apoiada pela PETA, é uma fonte de salvação para estes animais que estão sofrendo. Por favor, faça uma doação ao nosso Global Compassion Fund para permitir que esse e outros trabalhos vitais continuem a fim de proporcionar alívio aos animais em situações de necessidade: Apoie o Fundo de Compaixão Global da Peta

Por Stephanie Goettge / Tradução de Gabriela Müller-Heitzmann

Fonte: PETA

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.