Detetive da polícia recebe certificação e se torna investigador em Crueldade Animal

Detetive da polícia recebe certificação e se torna investigador em Crueldade Animal

Tradução de Flavia B. Bannister

EUA animalcruelty10

O Departamento Policial de South Bend (SBPD), cidade do estado de Indiana, EUA, tem agora na sua equipe uma investigadora com certificação em crueldade animal, a detetive Jenn Gobel. Essa detetive recém treinada vai lidar com as investigações de qualquer caso que envolva conduta criminosa com animais de qualquer tipo.

Isso ajuda muito no departamento policial, porque para que os casos de abuso animal sejam bem sucedidos é necessário obter documentação apropriada, uma investigação e a colaboração das agências, como a de controle e cuidado animal, (Animal Care and Control).

A detetive Gobel já é uma veterana do departamento de South Bend, onde está trabalhando há doze anos. Ela trabalhou em diferentes unidades durante sua carreira, incluindo narcóticos como policial disfarçado, unidade de vítimas especiais, unidade geral e de roubos como investigadora, e também em missões especiais como na investigação ‘RICO’, onde lidou com uma gangue local.

Recentemente, ela concluiu um treinamento intensivo através da agência nacional de investigações em crueldade animal, (National Animal Cruelty Investigations- NACI), pelo programa de extensão universitária da Universidade de Missouri. O treinamento intensivo é formado por três níveis separados: profissional, avançado e especialista.

Depois de terminar todos os três níveis com nota média de 95%, Jenn recebeu certificação como investigadora em crueldade animal. O treinamento incluiu todos os aspectos relacionados à crueldade animal, como negligência, abuso, rinha de cães, fábrica de filhotes, investigações sobre equinos, ligações entre atividade criminosa e o abuso animal, além de muitos outros aspectos.

Jenn tem uma paixão absoluta pelo bem-estar animal. Em novembro de 2015, será lembrado o aniversário de dez anos da sua própria tragédia animal. Ela foi vítima de uma disputa doméstica, ao chegar em casa ela descobriu que seu Akita tinha apanhado até a morte do seu namorado, que também era policial. Essa experiência fez com que ela lutasse ainda mais para garantir que os animais na sua comunidade pudessem ter alguém lutando por eles.

Ela também é a fundadora e diretora executiva de uma ONG chamada Projeto 360° (The 360° Project), que coloca juntos animais abusados com jovens problemáticos do centro de justiça juvenil (Juvenile Justice Center). O programa ensina conceitos básicos de educação humanitária e treinamento básico para cães de abrigo retirados do centro de controle e cuidado de South Bend (SBACC). Esse programa de quatro semanas treina ambos animais e jovens problemáticos e só então os cães podem ser adotados pela comunidade.

Essa nova certificação vai ajudar a unir e melhorar o relacionamento da SBPD com a SBACC.

Ela já estabeleceu uma forte relação de trabalho com Matt Harmon, o diretor do abrigo SBACC. A cooperação entre ambas agências deve garantir que os casos recebam atenção integral do departamento de polícia de South Bend e dos dedicados funcionários do abrigo SBACC.

Tudo isso vai ajudar a garantir sucesso nos processos e mandar uma mensagem séria aos que abusam de animais nesta comunidade. E a mensagem é que crueldade animal não será tolerada em qualquer forma.

Fonte: WNDU

Nota do Olhar Animal: Que boa ideia para ser aplicada aqui pelo Brasil, não? Em Pernambuco haverá algo similar. Mas mesmo com o evidente crescimento do tema nos meios de comunicação, algumas autoridades policiais ainda sequer sabem da existência de legislação que criminaliza os abusos e maus-tratos aos animais. As capacitações e certificações não só levariam esta informação jurídica a eles, mas ajudariam a quebrar a resistência de agentes policiais em relação ao tema, lembrando que até hoje alguns chegam a cometer o crime de prevaricação ao não querer registrar ocorrências envolvendo animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.