Dez cães são resgatados em depósito de construtora em Teresina, PI

Dez cães são resgatados em depósito de construtora em Teresina, PI
Fotos: divulgação DPMA

Dez cães, incluindo filhotes, com sinais de maus-tratos foram resgatados em um depósito de uma construtora no bairro Ilhotas, na zona Sul de Teresina. O resgate ocorreu após moradores de um condomínio se sensibilizarem com a situação e acionarem a polícia. Os animais estavam com ferimentos pelo corpo, assustados e se alimentavam com comida que era colocada por baixo do portão.

“Lá é o depósito de uma construtora onde guardam máquinas velhas. Encontramos um ambiente sujo, insalubre, com fezes, mato alto e mosquitos. Os animais estavam soltos, aparentavam estar doentes. Era uma situação de abandono”, explica o delegado Emir Maia, titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA). 

Fotos: divulgação DPMA

O resgate ocorreu ontem (13) e contou com apoio de uma ONG de proteção animal. Nesta sexta-feira (14), um representante da construtora foi ouvido e mais um foi intimado a prestar depoimento na próxima semana, bem como testemunhas. 

Fotos: divulgação DPMA

“Foi informado que, uma vez ao dia, uma pessoa ia ao local deixar comida e água. De toda forma, ter dois, três, quatro animais ou mais naquela situação em que os encontramos caracteriza maus-tratos”, reitera o delegado. 

Fotos: divulgação DPMA

Os animais foram levados ao Centro de Zoonoses para exame de corpo de delito na segunda-feira (18). Até a conclusão do inquérito policial, os cães ficarão com um fiel depositário, ou seja, sob a responsabilidade temporária até que a Justiça decida o caso. 

Emir Maia adianta que a pena mínima para o crime de maus-tratos é de dois anos. Caso seja condenado, o autor do crime pode responder a uma pena de 20 anos.

A orientação é que a população denuncie através do 86 3233 2025.

“As denúncias são apuradas não só indo ao local do crime, mas trazemos o perito médico para que ele dê laudo na hora, antes de adentrarmos”, explica o delegado.

Fonte: Cidade Verde

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.