Dezenas de cães explorados para farejar bombas foram ‘mortos por companhia petrolífera’

Dezenas de cães explorados para farejar bombas foram ‘mortos por companhia petrolífera’

Por Tanveer Mann / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Cuidado: Imagens chocantes

Kuwait dezenas caes farejadores mortos

Dezenas de cães farejadores foram mortos por uma companhia de segurança dos EUA, reclamaram ativistas dos direitos dos animais.

Os cães foram supostamente assassinados pela Eastern Securities do Kuwait porque eles não eram mais necessários após o contrato com a Kuwait National Petroleum Company (KNPC – Companhia Petrolífera Nacional do Kuwait) ter vencido.

A Unidade de Resgate de Animais do Kuwait compartilhou online fotos dos corpos dos cães empilhados um em cima do outro em um corredor.

Uma das fotos mostrava dois funcionários sorrindo perto dos animais.

Kuwait dezenas caes farejadores mortos2

Os relatórios sugerem que os funcionários mataram os cães porque eles não tinham sido pagos por dois meses após o final do contrato.

Os ativistas dos direitos dos animais chamaram os assassinatos de ‘abuso animal/massacre horrível’.

Esmail Al Misru disse ao Arab Times que mais 90 cães poderiam ser mortos.

Ele disse: “Nós sabemos como cães que são bem alimentados e bem cuidados parecem. As fotos foram tiradas imediatamente após o incidente, então nós podemos descartar desidratação como uma causa pelo seu estado ruim de saúde”.

De acordo com um funcionário anônimo da Eastern Secutiries, a companhia deveria fazer a eutanásia dos cães em pequenos grupos, mas um dos funcionários decidiu matá-los todos de uma vez.

Kuwait dezenas caes farejadores mortos3

Ele alega que os cães foram mortos porque eles estavam doentes ou velhos e alguns sofriam de tumores e outros problemas.

O funcionário alegou que a companhia pediu aos grupos de resgate do Kuwait para adotarem os cães, mas eles se negaram.

Um porta-voz da Kuwait National Petroleum Company disse que a companhia expressou seu pesar, mas que não tomou parte na morte dos cães.

Ele confirmou que o contrato tinha sido cancelado após os cães não terem passado em certos testes.

Fonte: Metro

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.