DF: Terceiro cachorro resgatado em depósito onde animal foi maltratado também está ferido

DF: Terceiro cachorro resgatado em depósito onde animal foi maltratado também está ferido

Cão está com o olho muito machucado.

DF nucleobandeirante depositoit4l90i6 file

Um terceiro cachorro foi resgato no depósito de materiais de construção do Núcleo Bandeirante (DF), onde um caseiro foi flagrado torturando uma cadelinha de apenas quatro meses. Segundo a responsável pelo resgate, Roberta Vasconcellos, o cachorro também apresenta sinais de maus-tratos e está com o olho muito machucado.

— Acho que ele não está enxergando direito. Ainda não pegamos os resultados dos exames, mas ele está bastante assustado.

O terceiro cachorro resgatado é um labrador preto e ganhou o nome de Lucky. Ele já recebeu todos os cuidados necessário e, agora, espera em um lar temporário para ser adotado.

— O Lucky está na casa de um amigo meu, que pretende ficar com ele. Mas, como ele está enxergando pouco, às vezes ele estranha as pessoas e, quando a mãe do meu amigo chega perto, ele rosna. Por isso, ainda estamos vendo se ele vai se adaptar.

O R7 mostrou com exclusividade na última sexta-feira (5) cenas de um homem dando banho no animal e, em vários momentos, a cadelinha passa a ser maltratada com a coleira e o jato de água da mangueira. Após enforcar a cachorra e sufocá-la com a água, o homem ainda dá socos no animal para tentar fazer com que fique parada enquanto é atingida pela água. A agressão durou mais de 12 minutos.

As imagens chocaram o DF e o Entorno nos últimos dias. O caso está sendo apurado na 29ª DP (Delegacia de Polícia) do Riacho Fundo, que recebeu a investigação da 11ª DP do Núcleo Bandeirante.

Segundo a delegada Alessandra Figueiredo, responsável pelo caso, o funcionário do depósito já foi intimado e o dono dos animais também pode ser responsabilizado. A expectativa dela é que ele apareça para esclarecer o que aconteceu, porque todos na delegacia “ficaram indignados” com as agressões de Figueiredo. Para ela, o agressor pode ter fugido por medo de ser linchado pela população local.

— Falaram que se ele aparecer vai apanhar. Talvez por isso tenha fugido. Então, vamos aproveitar para dizer que ele pode aparecer na delegacia, relatar os fatos, que nós vamos dar andamento ao procedimento. Faremos um termo circunstanciado, é melhor para ele se aparecer.

O agressor se chama José Geraldo Balbino. Ele tem 58 anos, é considerado foragido e, quando for encontrado, vai responder pelo crime de maus-tratos com pena de três meses a um ano de prisão.

Fonte: R7

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.