Diarista pede ajuda para manter cuidados a 120 animais em Mogi das Cruzes, SP

Diarista pede ajuda para manter cuidados a 120 animais em Mogi das Cruzes, SP
Sonia cuida de 50 cães e 70 gatos resgatados das ruas (Foto: Eisner Soares)

A diarista Sonia Regina Ferrari, 54 anos, de Mogi das Cruzes, precisa de ajuda para manter os cuidados aos cerca de 120 animais resgatados da rua. Ela realiza este tipo de trabalho há quase 18 anos, mas não consegue mais pagar todas as despesas porque ficou cega do olho direito durante o tratamento de cinco anos contra um câncer de mama, o que a impossibilitou de realizar muitas faxinas durante o mês. Além disso, separou-se do marido, que mantinha o aluguel da casa, em Braz Cubas. A renda atual, de cerca de R$ 300,00, não é suficiente para cobrir as contas mensais com a alimentação dos animais e despesas com remédios e consultas.

Sonia conta que para alimentar os 50 cães são preparados, em média, 20 quilos de comida por dia. Já para os 70 gastos, são necessários 10 quilos. “Eles comem ração, arroz e mingau de fubá”, diz. Segundo a diarista, a maioria dos bichos é formada por adultos ou idosos, o que dificulta o interesse daqueles que querem adotar um animal de estimação. “Além disso, nesta idade, eles começam a ter problemas de saúde, o que faz com que os donos largem os animais na rua”, diz.

Sem pagar o aluguel de casa há alguns meses, Sonia não sabe o que fará caso tenha que deixar a casa com os cães – os gatos ficam na residência da irmã, no Bairro do Rodeio. “A mensalidade é R$ 900,00, fora um acordo de parcelas no valor de R$ 400,00 referentes aos meses atrasados”, explica. O dono da casa já ingressou com ordem de despejo.

O cuidado com os animais de rua começou em meados de 1990, quando a mãe e a avó eram vivas. Agora, Sonia conta apenas com a ajuda da irmã, a dona de casa Marcia Lucia Ferrari, de 42 anos. Quando começaram, elas resgatavam os pets, tratavam e depois levaram às feiras de adoção. “Desde que foi instituída a obrigatoriedade de vacinar contra virose, antes da doação, eu quase não consigo levá-los, porque cada vacina custa R$ 50,00”, pontua. Antes desta obrigatoriedade, a diarista diz que a cada 15 dias, 10 animais ganhavam novos lares.

Hoje, após resgatar os bichos, ela dá banho e medica contra vermes. Caso eles tenham algum problema mais grave, Sonia os encaminha a um veterinário. “Eu sempre peço ajuda para conseguir o preço da consulta e dos medicamentos”, conta, explicando que mesmo com os atendimentos gratuitos do Centro de Bem-Estar Animal, em César de Souza, ela ainda gasta com despesas médicas porque o local não oferece exames de raio-X e ultrassom, quase sempre necessários para diagnosticar as doenças.

Quem se interessar em ajudar Sonia com o cuidado dos animais pode fazer doações de alimentos, além de dinheiro. Para isso, basta entrar em contato pelo telefone 99860-2506.

Por Natan Lira 

Fonte: O Diário

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.