Distrito Federal ganha ‘patadestre’ para travessia de animais silvestres

Distrito Federal ganha ‘patadestre’ para travessia de animais silvestres
'Patadestre" instalada no Lago Oeste. Foto: Profauna-DF / Reprodução

O Distrito Federal ganha, nesta quarta-feira (23), uma sinalização especial, parecida com uma faixa de pedestres, mas colorida com imagens de patas de animais. A “patadestre”, está instalada na via de acesso ao Condomínio Mansões Colorado, no Lago Oeste, perto da Área de Preservação Ambiental do Planalto Central (APA).
 O objetivo é alertar os motoristas sobre os pontos de passagem de animais silvestres para diminuir os riscos de acidentes e atropelamento da fauna nativa do DF. A intervenção tem autorização do Departamento de Estradas e Rodagem do DF (DER-DF).

Só este ano, no trecho da DF-220, da altura do Rodeador, em Brazlândia, até a entrada da DF-001, no balão do Colorado, pelo menos oito animais de grande porte – um veado, um lobo-guará, cinco antas e uma capivara – morreram atropelados.

“A proposta é para educar o ser humano, não o animal”, diz o coordenador da APA, Maurício Laxe.

Maurício explica que a área é um corredor ambiental importante. “A área liga a Bacia do Rio Paraná com a Bacia do Rio Tocantins e os animais passam por lá”, conta.

Patadestre instalada no Condomínio Mansões Colorado, no Lago Oeste, no DF, para travessia de animais silvestres. Foto: ICMBio / Reprodução
Patadestre instalada no Condomínio Mansões Colorado, no Lago Oeste, no DF, para travessia de animais silvestres. Foto: ICMBio / Reprodução

O servidor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) conta que esta é a primeira “patadestre” do Brasil. A ideia é que outras unidades da federação também possam instalar pontos de passagem da fauna silvestre, para chamar a atenção dos motoristas.

“O projeto visa conscientizar os motoristas de que nessas áreas passam animais continuamente e, por isso, tem que reduzir a velocidade”, diz Maurício.

No local da patadestre, no Condomínio Mansões Colorado, no Lago Oeste, a velocidade foi reduzida de 60 km/h para 40 km/h. A sinalização reflete durante a noite e um quebra-molas complementa os avisos para a necessidade de desacelerar.
 

Biodiversidade

 Onça parda atropelada por motociclista na DF 001 foi levada para o zoológico de Brasília em 2019. Foto: TV Globo / Reprodução
Onça parda atropelada por motociclista na DF 001 foi levada para o zoológico de Brasília em 2019. Foto: TV Globo / Reprodução

O projeto-piloto faz parte do programa Prafauna, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e da Administração Regional de Sobradinho II.

Segundo Maurílio Laxe, o Condomínio Mansões Colorado, local de instalação da “patadestre”, fica em uma região do DF de grande importância ambiental, no interior da Área de Proteção Ambiental do Planalto Central e rodeado pela Reserva Biológica da Contagem.

As áreas fazem parte da Reserva Mundial da Biosfera do Cerrado. Na região, Maurício diz que já foram registradas imagens de lobos guarás, antas, capivaras, onças-pardas, cachorros-do-mato, tamanduás, micos, quatis e ouriços, além de fêmeas com filhotes e espécies ameaçadas de extinção.

Por Mara Puljiz

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.