EUA Louisiana laboratorios santuarios chimpanzes

Do laboratório ao santuário: 220 chimpanzés de pesquisa sendo transferidos

Tradução de João Pedro Astolfi da Costa

Todos os 220 chimpanzés do laboratório de pesquisas de uma universidade da Louisiana em New Iberia serão realocados para um novo santuário no norte da Georgia, disse a universidade no último dia 2, o que parece ser inovador para um laboratório não federal.

Os animais pertencentes à Universidade da Louisiana em Lafayette serão movidos mensalmente em grupos sociais de aproximadamente 10 integrantes cada para o santuário em Blue Ridge, Georgia, tendo início em junho, disse Sarah Baeckler Davis, co-fundadora do Project Chimps, sem fins lucrativos.

Um comunicado conjunto feito no dia seguinte pela universidade e pelo projeto informou que é a primeira vez que um programa de pesquisa não federal libera todos os seus chimpanzés de pesquisa.

A Humane Society of the United States (Sociedade Humanitária dos Estados Unidos) confirmou o fato.

“Sei que tivemos alguns chimpanzés liberados aqui e ali, mas nada nessa escala,” disse Kathleen Conlee, vice-presidente da Humane Society para questões de pesquisas animais. “Isso é verdadeiramente marcante.”

O diretor do Nonhuman Rights Project (Projeto dos Direitos Não humanos) disse que os chimpanzés devem ser movidos para um santuário de classe mundial na Flórida.

Michael Budkie, diretor executivo de um grupo de direitos animais chamado Stop Animal Exploitation Now (Pare a Exploração Animal Agora), foi menos efusivo em sua afirmação.

“Já estava na hora de aposentar os 220 chimpanzés da Universidade de Louisiana e é um ponto positivo que a ULL está arcando com parte do encargo financeiro desses primatas,” disse ele em um pronunciamento. “Mas e os outros 5000 primatas na ULL?”

Documentos da USDA mostram que o New Iberia Research Center (Centro de Pesquisa New Iberia) também possui 4818 macacos rhesus, 621 vervet, 349 macacos fascicularis, 308 macacos rabo-de-porco e 20 macacos capuchin, disse Budkie em uma entrevista.

O porta-voz da universidade, Charlie Bier, não respondeu diretamente, dizendo que a universidade estava direcionando todas as dúvidas para sua página de perguntas frequentemente feitas sobre os chimpanzés.

Os grupos afirmaram que a universidade e a Humane Society estão contribuindo com o objetivo e o Projeto Chimps está solicitando doações. Baeckler Davis afirmou que eles gastaram em torno de 3 milhões de dólares até agora e que esperam que, quando o santuário alcançar sua capacidade máxima, os gastos serão de 5 milhões de dólares por ano.

“Estimamos que o projeto custará oitenta milhões de dólares ao longo do seu funcionamento” disse ele.

A instalação costumava ser um santuário para gorilas que não podiam ser mantidos em zoológicos. Foi construída para aproximadamente 12 gorilas, mas nunca abrigou mais do que três, afirmou Steuart Dewar em um email. Um deles, propriedade do zoológico de Birmingham, Alabam, faleceu de velhice; os outros dois voltaram para o Zoológico Atlanta em 2014, disse ele.

Dewar disse que o Projeto Chimps comprou a terra e a Dewar Wildlife Trust doou os edifícios e cercas, os quais alcançaram padrões muito exigentes requeridos para certificação pelo Association of Zoos and Aquariums (Associação de Zoológicos e Aquários).

A universidade diz estar planejando a aposentadoria e o santuário para esses chimpanzés há mais de dois anos e afirma que a vasta maioria deles nunca participou de uma pesquisa. Todos foram aposentados no ano passado e possuem acesso diário a áreas de recreação externas e luz do sol natural.

Apenas outros 82 chimpanzés de laboratório são propriedade privada nos E.U.A.: 26 no M.D. Anderson Cancer Center (Centro de Câncer Dr. Anderson) em Bastrop, Texas e 56 no laboratório Yerkes em Georgia, de acordo com a Humane Society.

Segundo a universidade, 308 chimpanzés de posse do National Institute of Health (NIH – Instituto Nacional de Saúde) estão em dois laboratórios no Texas e em um no Novo México, e o NIH dá suporte a outros 82 em um dos laboratórios do Texas.

O NIH aposentou a maioria dos seus chimpanzés em 2013, mas manteve 50 em à disposição até 2015, quando disse que seriam aposentados também.

O Chimp Haven (Refúgio dos Chimpanzés), no norte da Louisiana, é o santuário oficial dos chimpanzés do NIH, embora a maioria continue em três laboratórios no Texas e no Novo México.

Fonte: Nola 

Nota do Olhar Animal: Os chimpanzés estão sendo “aposentados”. Mas longe disso significar o fim dos experimentos com animais na universidade de Louisiana. Como indica a matéria, outros 5.000 primatas continuam por lá. É de se supor que muitos outros, de outras espécies, também continuem sendo explorados em testes. 

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.