Dupla é presa por transporte ilegal de 26 aves em Governador Valadares, MG

Dupla é presa por transporte ilegal de 26 aves em Governador Valadares, MG
Além de um papagaio e um trinca-ferro em gaiolas, 24 aves estavam em caixas de papelão em porta-malas (Foto: Zana Ferreira/G1)

Dois homens, de 25 e 56 anos, foram presos na noite desta quarta-feira (7) por transporte ilegal de pássaros silvestres em Governador Valadares. Segundo a Polícia Militar de Meio Ambiente e Trânsito, foram apreendidos 26 pássaros silvestres, sendo um papagaio, um cardeal e 24  pássaros da espécie trinca-ferro.

O cabo da polícia, Rodrigo Aleixo, conta que uma denúncia anônima informou a respeito do transporte irregular. O veículo foi abordado na BR-381, no entroncamento com a BR-116, e os animais foram encontrados em duas gaiolas e em caixas de papelão que estavam escondidas no porta-malas de um carro.

“Os suspeitos são de Coronel Fabriciano, eles não possuíam passagem pela polícia e alegaram que capturaram os animais na natureza, em Poté, e pretendiam criar os animais”, afirma. Ainda de acordo com o policial, quem deseja criar pássaros em casa não pode pegar na natureza, apenas pode comprar de pessoas que tenham autorização do Ibama e forneçam toda a documentação do animal.

Um biólogo do Instituto Estadual de Florestas (IEF) foi acionado para analisar o estado de saúde das aves. Dependendo da análise, os suspeitos podem ser enquadrados no crime de maus-tratos, devido à forma como foram acondicionados em caixas de papelão. Este crime tem pena prevista de três a seis meses de prisão. Já pelo crime de transporte ilegal, a pena é de seis meses a um ano e multa no valor de R$ 750 por animal.

Após diagnóstico do biólogo do IEF, o destino dos pássaros será definido. Se precisarem de reabilitação, serão conduzidos ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas). Mas se forem considerados saudáveis, serão soltos em habitat natural nesta quinta-feira (8), pois a legislação prevê que a soltura não pode ser realizada no período noturno, para não deixar os animais vulneráveis ao ataque de predadores.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.