Égua agoniza em Fortaleza (CE) e população não consegue ajuda de órgãos competentes

Égua agoniza em Fortaleza (CE) e população não consegue ajuda de órgãos competentes

Não existe em Fortaleza um órgão responsável por recolher animais de grande porte, como equinos, que estejam em situação de abandono nas ruas, segundo a responsável pela Coordenadoria Especial de Proteção e Bem-Estar Animal (Coepa), entidade da prefeitura que atua na elaboração e execução de políticas públicas voltadas para o cuidado animal.

O problema foi evidenciado na manhã desta quinta-feira (18), quando uma égua agonizava na Via Expressa por mais de cinco horas, e a população tentava pedir ajuda de órgãos oficiais de proteção, sem sucesso. Com a repercussão do caso, o animal foi resgatado com ajuda de protetores independentes.

“Com a criação da Coepa, nós botamos o Vetmóvel na rua, que é a grande demanda da população. O que resolve o abandono de animais domésticos é castração. Mas no caso dos equinos, Fortaleza tem poucos especialistas. Neste momento, não é papel nosso. Mas mandamos veterinários pro local, material higiênico e alimentação”, explica a coordenadora da Coepa.
O transporte de animais em caso de abandono não está entre as atribuições do órgão.

Rede de voluntários

A estudante de veterinária Anne Carneiro estava a caminho da faculdade quando deparou com a égua agonizando no chão, na manhã desta quinta, na Via Expressa. Ela e a população da região se mobilizaram e procuraram entidades públicas que pudessem resolver a situação durante toda a manhã. Nenhum dos órgãos deu resposta positiva.

“Todo mundo está muito aflito aqui. Estamos mobilizados para tirá-lo da pista e colocar no meio fio. Ele está muito machucado, desnutrido e com fome”, disse a estudante.

Diante do problema, a Coepa, juntamente com uma rede voluntária de protetores de animais, enviou ajuda no período da tarde. Após a remoção do animal, ele vai ser levado para um sítio no Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza, e ficará sob responsabilidade de um grupo independente de protetores.

“O animal já está recebendo os primeiros socorros, recebendo soro, estamos tentando conseguir um transporte, e depois um lar temporário para ele se recuperar. Após isso, vai ser colocado para adoção. Tem muita gente envolvido para solucionar e salvar a vida do animal”, enfatiza a coordenadora.

Égua agoniza em Fortaleza (CE) e população não consegue ajuda de órgãos competentes
Cavalo segundo os populares está com sinais de maus-tratos. (Foto: Anne Carneiro/Arquivo Pessoal)

Centro de apoio

Segundo Toinha Rocha, existe um projeto para um Centro de Apoio aos Animais de Fortaleza sendo construído, em parceria com a Coepa e a prefeitura. O local seria usado para tratar esses animais e colocar para adoção responsável. “Estamos mapeando terrenos públicos pra fazer o espaço do Centro. Vai ter espaço clínico, baias, lugar pra eles caminharem, mas não será um abrigo”, diz a responsável pela Coepa.

Fonte: G1 / Vídeo: Diário do Nordeste

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.