‘Elefante mais solitário do mundo’ transferido de um zoo para uma reserva no Camboja

‘Elefante mais solitário do mundo’ transferido de um zoo para uma reserva no Camboja
Foto: Saiyna Bashir

O elefante Kaavan vai ser este domingo transferido de avião para uma reserva no Camboja após anos de maus-tratos num jardim zoológico em Islamabad, no Paquistão, na sequência de uma campanha liderada pela cantora americana Cher.

A cantora chegou a Islamabad na semana passada para ficar com o elefante de 35 anos, que estava a ser maltratado, desencadeando uma “luta feroz” de ativistas dos direitos dos animais do Paquistão.

“Graças a Cher e também aos ativistas paquistaneses, a situação de Kaavan fez manchetes em todo o mundo e isso ajudou a facilitar a sua transferência”, disse Martin Bauer, porta-voz da organização Four Paws.

Cher, que contribuiu financeiramente para a transferência do animal, viaja este domingo para o Camboja para estar no país quando o animal chegar.

Esta semana, o primeiro-ministro, Imran Khan, encontrou-se com a artista de 74 anos para lhe agradecer pessoalmente.

“ELEFANTE MAIS SOLITÁRIO DO MUNDO”

Kaavan é considerado pela imprensa o elefante mais solitário do mundo, sendo o único elefante asiático do Paquistão, dado que, os outros são africanos.

Em maio deste ano, um tribunal paquistanês ordenou o encerramento do jardim zoológico dadas as “condições abismais” em que viviam os animais, submetidos a constante “neglicência”.

“Infelizmente o resgate chega tarde para dois leões que morreram no final de julho depois de tratadores atearem um fogo no recinto para os forçar a entrar nas caixas de transporte para serem transferidos para outro local”, contou Martin Bauer, porta-voz do grupo “Four Paws” ao The Guardian.

Uma equipa de veterinários e tratadores da Four Paws passou meses a treinar o elefante para a viagem, com duração de sete horas.

Anjum Naveed

O caso de Kaavan e o “estado deplorável” do zoológico da capital paquistanesa levaram um magistrado a ordenar, este ano, a transferência de todos os animais. Ativistas da causa animal têm lutado pela relocalização do elefante desde 2016.

A administração do jardim zoológico negou os maus-tratos ao animal, mas especialistas internacionais detetaram “problemas”, nomeadamente de saúde mental, no elefante.

ESTADO DO ELEFANTE

Num exame médico, em setembro, veterinários concluíram que o elefante Kaavan tinha excesso de peso, apesar de apresentar sinais de subnutrição. As suas unhas estavam partidas e demasiado longas, aparentemente por durante anos ter vivido num “recinto desadequado” com um piso prejudicial às suas patas.

“Depois dos exames, que confirmaram que Kaavan está suficientemente forte, iremos proceder à sua relocalização para um santuário animal, em princípio no Camboja”, informou o porta-voz.

Além das feridas, Kaavan também tinha problemas comportamentais. Em 2012, o elefante perdeu o seu parceiro, altura desde a qual se encontra sozinho.

“Ele desenvolveu estereotipias, abanando a cabeça para a frente e para trás durante horas. Isto acontece principalmente porque ele está entediado”.

Fonte: Sic Notícias / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.