Em 2019, de cachorro a cavalo, animais foram vítimas da crueldade humana em Campo Grande, MS

Em 2019, de cachorro a cavalo, animais foram vítimas da crueldade humana em Campo Grande, MS
Crédito: Wesley Ortiz

Violência, abandono e crueldade, essa foi a realidade de alguns animais em todos os pontos de Campo Grande. Na Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), 160 pessoas registraram boletim de ocorrência até o dia 6 de novembro.

Nesta retrospectiva, listamos alguns casos noticiados pelo TopMídiaNews em Campo Grande. No primeiro, morador do bairro Jardim Ahani foi alvo de denúncia de vizinhos por maus-tratos a dois cachorros. Os animais, segundo os vizinhos, ficavam amarrados 24h por dia, mesmo em dias de sol e de chuva, em quintal com bastante sujeira e até galinhas.

A denunciante, que não quis se identificar na matéria, contou que tinha levado o caso ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) e à Decat. Contudo, mesmo após visita da polícia no local, a situação continuava a mesma.

Um caso que também chamou atenção foi de um cachorro preso em uma corda 24h por dia. Morador de 42 anos foi à polícia denunciar o vizinho no Jardim Colúmbia. O relato é de que o animal vivia preso a uma corda, sujeito a sol e chuva e gemia a todo momento. O tutor do cão é tido pelo denunciante como agressivo e ignorante.

Outro caso semelhante revoltou os amantes e simpatizantes com a causa animal ao ser publicado nas redes sociais. Um cão foi flagrado chorando sob chuva e frio na Rua Santa Maria, bairro Coronel Antonino.

Espancou até matar

Bêbado, jovem de 19 anos foi parar na delegacia após matar o cachorro dos avós, um buldogue, com seis facadas, na região do Vilas Boas, O autor chegou a ficar detido, foi ouvido e liberado.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, a avó do jovem, de 60 anos, acionou a Polícia Militar informando que a neto havia matado o animal. Ela contou aos militares que o autor chegou alterado, parecendo estar bêbado ou drogado.

Resgate

Uma cadela doente foi resgatada por protetores de animais no bairro Parque Novo Século. A suspeita é de que o bicho tenha sido abandonado pelo tutor para morrer no local.

“Graças a Deus conseguimos resgatar ela a tempo e ela já está se recuperando na clínica”, comentou o protetor de animais, professor Alexandre Menezes dos Santos, mais conhecido como “Xandão”.

A Decat também resgatou 40 animais de uma vez só. Eles estavam em uma fazenda na MS-040, amarrados e expostos ao calor, sem água, sem comida e em condições de higiene inaceitáveis. Os cães foram adotados pela ONG Abrigo dos Bichos, responsável pela denúncia.

Foto: Repórter Top

Cavalo também sofre

Não foram só os animais domésticos que sofreram com a crueldade humana, um cavalo foi deixado no sol quente, sem água e sem comida no Los Angeles. O animal ficou sozinho em um local que teve a vegetação queimada.

“O  povo fala de maus-tratos a cachorros e gatos, mas esquecem de que dentro da cidade tem pessoas sem noção que criam cavalos”, falou indignado o denunciante.

Crime

Maus-tratos aos animais são considerados crimes ambientais, previsto no artigo 32 da Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, Lei dos Crimes Ambientais, e prevê pena de detenção de três meses a um ano e também a condenação em multa para quem praticar o ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

As denúncias  podem ser feitas na Decat, na Rua Sete e Setembro, 2421, no bairro Jardim dos Estados, ou  pelo telefone (67) 3325-2567.

Por Nathalia Pelzl

Fonte: Topmídia News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.