Em 24 h, polícia de MS prende 2° homem por rinha de galos e recolhe 22 animais mantidos em gaiolas

Em 24 h, polícia de MS prende 2° homem por rinha de galos e recolhe 22 animais mantidos em gaiolas
Um dos animais recolhidos pela polícia em MS — Foto: PMA/Divulgação

A Polícia Militar Ambiental (PMA) e a Delegacia Especializada em Repressão à Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista (Decat), um dia após prenderem um suspeito por rinha de galos, em Campo Grande, autuaram outro homem por maus-tratos e ainda apreenderam 22 galos de briga.

Os policiais foram ao local, no bairro Nova Lima, região norte da cidade, após denúncia anônima nessa terça-feira (8). Eles constataram que ali não ocorriam apostas, porém, havia criação e treinamento dos animais, inclusive com arenas.

Assim que as equipes chegaram, o pedreiro de 55 anos se identificou como dono e afirmou que as criava somente para venda, negando qualquer envolvimento com rinha. A investigação, no entanto, apurou que os animais eram mantidos em gaiolas de madeira e algumas de ferro extremamente apertadas, com restrição de movimentos, privação de luz solar e circulação aérea inadequada, ainda segundo a polícia.

Os 22 galos domésticos da espécie galo-índio (Gallus gallus domesticus) apresentavam diversos ferimentos na crista e peito, bem como todas as aves apresentavam-se mutiladas, com as esporas cortadas e foram apreendidas. Todas as gaiolas também foram apreendidas e o suspeito foi multado em R$ 11 mil.

A pena para o crime de maus-tratos a animais varia de três meses a um ano de detenção.

Animais ficavam em gaiolas extremamente apertadas, diz polícia. — Foto: PMA/Divulgação

Por Graziela Rezende

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.