Em carta, leitora denuncia maus-tratos a cadela em Passo Fundo, RS

Em carta, leitora denuncia maus-tratos a cadela em Passo Fundo, RS
Foto: Matheus Moraes / DM

Uma denúncia de maus tratos a animais chegou ao Jornal Diário da Manhã nesta semana por meio de carta. No texto, a autora relata preocupação, angústia e solicita ajuda das autoridades responsáveis para recuperar uma cachorra de raça indefinida, que está com sarnas, feridas e desnutrida. De acordo com o texto, esse é o segundo caso de maus-tratos a animais dos mesmos tutores. Na primeira ocasião, os tutores de um outro cachorro abandonaram o animal, segundo o texto.

Ao longo da carta, a autora, que prefere não se identificar, afirma que a situação é repugnante. Ela demonstra, ainda, apreensão por causa das sarnas na cachorra, que podem afetar outros cães da mesma rua onde moram. “Vizinhos contaram que essas pessoas têm por hábito esse tipo de atitude”, comenta na carta. Indignada, ela conta que por vezes já alimentou o animal, que estava abandonado pelos seus tutores. No entanto, a cachorra ficou presa porque teve filhotes, o que a impediu de saber suas condições de bem estar. “Essa semana ela apareceu… Pensei comigo, como esses seres humanos podem fazer coisas tão repugnantes”, completa.

Em Passo Fundo, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAM), por meio do Departamento de Bem Estar Animal, cuida de casos de maus tratos a animais. De acordo com o secretário da SMAM, Rubens Astolfi, esses casos devem ser denunciados na Secretaria, onde as informações são colhidas por meio de um protocolo de denúncia. “O denunciante vai ter seu número de protocolo e poderá acompanhar o caso”, esclarece. Após a denúncia, um fiscal da SMAM identifica a denúncia e verifica a situação o mais rápido possível para evitar danos.]

Se realmente for constatado os maus tratos ao animal, o proprietário é orientado e notificado pela Secretaria. “Normalmente fizemos o próprio dono corrigir a sua ação e o notificamos para que isso não se repita mais. Depois sugerimos um prazo para voltamos ao local e observar a situação”, explica Astolfi. A última instância é o recolhimento do animal do seu tutor. De acordo com o secretário, essa ação somente acontece em casos reincidentes com base na legislação ambiental. “É o último instrumento a ser utilizado. Retiramos o animal da pessoa e encaminhamos para ONGs de proteção animal para uma futura doação”, afirma.

De acordo com números da SMAM, o município de Passo Fundo tem em torno de 300 a 400 casos de maus tratos verificados anualmente. Apesar de ter épocas do ano em que o volume de denúncias é maior ou menor, a Secretaria garante que os dados mantêm regularidade.

Denuncie

Se você acompanha ou tem informação sobre algum caso de maus tratos a animais, denuncie para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O endereço é na Rua Thomé Mendes, 183, Parque Ambiental Banhado da Vergueiro. O contato por telefone é pelo (54) 3317-2529 ou pelo e-mail smam@pmpf.rs.gov.br.

Por Matheus Moraes 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.