Em emocionante 'Ato de misericordiosa Ação de Graças', fazendeiro entrega mais de 100 perus para grupo de direitos dos animais

Em emocionante ‘Ato de misericordiosa Ação de Graças’, fazendeiro entrega mais de 100 perus para grupo de direitos dos animais

O resgate do matadouro resultou de uma amizade improvável entre um ativista e um fazendeiro, e teve como objetivo mostrar ao mundo “que mesmo os adversários podem demonstrar compaixão neste período de celebrações”.

Em um “ato de misericórdia do Dia de Ação de Graças”, que visava mostrar ao mundo “que até os adversários podem demonstrar compaixão neste período de celebrações”, o proprietário de uma fazenda em Utah, em 19 de novembro, libertou 100 perus para ativistas dos direitos animais, incluindo alguns que enfrentam acusações de crimes por investigar sua operação maciça de criação de perus.

O resgate do matadouro foi “o resultado de uma improvável amizade entre Wayne Hsiung, fundador da rede de direitos dos animais Direct Action Everywhere (DxE), e Rick Pitman, proprietário da Pitman Family Farms”, segundo um comunicado do DxE. As aves agora viverão seus dias em santuários de animais locais.

A DxE transmitiu ao vivo o evento “surpreendente e reconfortante” no Facebook:

LIVE: Rescuing 100 turkeys in the heart of Big Ag! DxE whistleblowers face felony charges, but the farm is now HELPING us save lives! #HolidaySurvivors

Publicado por Direct Action Everywhere – DxE em Segunda, 19 de novembro de 2018

No ano passado, ativistas da DxE liderados por Hsiung documentaram “confinamento intensivo, ferimentos e doenças” em celeiros que abastecem a fábrica de perus Norbest, em Moroni, Utah, que Pitman comprou no início deste ano. Eles foram acusados de crimes que poderiam levar a anos de prisão por resgatarem três aves doentes.

“Em meus 20 anos de investigação de maus-tratos a de animais, nunca vi condições tão horripilantes em uma fazenda corporativa”, disse Hsiung, ex-professor de direito, a Glenn Greewald do The Intercept. “Nós vimos animais que pareciam mortos, mas ainda respiravam; animais definhando, que praticamente tinham sido bicados até a morte; muitos animais desabaram no chão em suas próprias fezes e sujeira. Era tão ruim quanto parece”.

Enquanto Pitman, que não apoia as acusações criminais, poupou cem aves, os ativistas compartilharam comida vegana com funcionários e moradores locais no evento de segunda-feira. Como a declaração da DxE observou, essa dinâmica amigável estava em forte contraste com outra das ações do grupo no estado, o que também levou a acusações criminais:

Depois que a DxE divulgou uma investigação expondo a terrível crueldade dos animais no Circle Four Farms de Smithfield em Milford, Utah, a maior fazenda de porcos dos EUA, agentes do FBI invadiram os santuários de animais de fazenda em busca dos porcos retirados da fazenda por ativistas. Seis ativistas foram posteriormente acusados de múltiplos crimes, incluindo uma acusação de extorsão, punível com até 60 anos de prisão.

A ação de resgate veio como parte da Animal Liberation Western Convergence, uma conferência popular de direitos dos animais que reuniu mais de 600 ativistas em Salt Lake City de sexta a terça-feira da semana passada. Cromwell, Hsiung e uma multidão de ativistas trouxeram leitões mortos na terça-feira para o Capitólio do Estado de Utah, na esperança de pressionar autoridades do alto escalão a investigar o tratamento de animais pela Smithfield e suspender acusações contra as equipes de resgate de animais.

Por Jessica Corbett / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: Common Dreams 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.