Em fila, elefantes órfãos abraçam mulher que os salvou de massacre

Em fila, elefantes órfãos abraçam mulher que os salvou de massacre

Por décadas, o ativista da causa animal David Sheldrick e sua esposa, Daphne Sheldrick, trabalharam pela proteção da vida selvagem na África.

Dedicados a aumentar a conscientização sobre a fragilidade dos ecossistemas e da fauna presente nas savanas, eles criaram uma série de ações pelo continente que beneficiaram milhares de animais ao longo dos anos.

Além disso, impediram incontáveis ações de caça ilegal de elefantes, combatendo o tráfico criminoso. Nesse meio-tempo, o casal acabou concentrando seus esforços na ajuda aos filhotes órfãos de elefantes, que perderam seus pais nas mãos de caçadores em busca de marfim.

Infelizmente, David se foi muito cedo, falecendo em 1977, deixando sua esposa sozinha nesta luta.

Isso não a desmotivou. Dando continuidade ao trabalho que fez ao lado do marido, Daphne criou a fundação David Sheldrick Wildlife Trust, uma das 3 organizações em todo o continente africano que resgata, reabilita e liberta elefantes órfãos.

Dedicação aos elefantes

Para prover o alimento necessário aos elefantes bebês, Daphne criou uma fórmula de leite materno especial com gordura vegetal e óleo de coco, que satisfaz e mantém saudáveis esses animais até estarem prontos para se alimentar da relva.

Como é de esperar, boa parte dos animais que chega ao santuário traumatizada e estressada. Para oferecer ajuda caso a caso, todos recebem um cuidador que os supervisiona e os acalmam quando eles se sentem assustados.

Quando atingem a idade adulta, os elefantes são transferidos para o Parque Nacional de Tsavo, onde se readequam à savana e garantem proteção permanente, longe do tráfico ilegal.

O amor de Daphne por essas criaturas é pressentida por elas mesmas: sempre que a idosa vai visitar e abraçar os elefantes, eles parecem devolver o carinho e o cuidado recebido como se ela fosse sua própria mãe.

Por Gabriel Pietro

Fonte: Razões para Acreditar

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.