Em Ouro Preto do Oeste (RO). denúncia de maus-tratos a cãozinho leva casal à delegacia

Em Ouro Preto do Oeste (RO). denúncia de maus-tratos a cãozinho leva casal à delegacia

Uma denúncia de maus-tratos a um cãozinho mestiço da raça burriler em um bairro de Ouro Preto do Oeste mobilizou a Policia Militar e a Ong protetora de animais da cidade a uma residência onde há dias estaria ocorrendo uma situação de judiação desagradável que motivou moradores próximos a registrar a denúncia.

O cãozinho, segundo os moradores, estaria sendo tratado com requinte de maus-tratos, o casal o estaria deixando amarrado o dia todo e a noite no relento, em meio uma manilha de concreto, sem água e comida, tomando chuva e sol.

A manilha em questão absorve o calor do sol e funciona como um forno jogando quentura toda no cachorro. Diante da denúncia grave, a PM esteve no local e verificou que onde o cãozinho estava ficando o chão está todo cavado, dando a entender que ele estava tentando fugir do calor.

A denunciante afirmou que ao chegar à residência o cachorro estava no sol, quando uma senhora moradora do local ao ser questionada, veio a retirar o animal de estimação do sol e o colocou dentro de casa. O marido dela, tutor do cachorro teria chegado à casa um tanto alterado e agressivo gritando, e negando os maus-tratos relatados na denúncia.

Entretanto, ele admitiu que aquele local que o cãozinho estava não era apropriado para a saúde de seu Pet devido o canto que ele estava ser muito quente e exposto a chuva e sol

Os policiais militares informaram na ocorrência que ao pegar o cachorro notaram que o mesmo estava muito suado (molhado) e bem ofegante, debilitado por conta do sol que estava submetido, constatado assim aparentemente os maus-tratos relatados.

Diante do exposto, e para evitar um mal maior para a saúde e bem estar do animal, os envolvidos juntamente com o pet foram conduzidos até a UNISP, onde foi feito registro de ocorrência.

O cãozinho foi retirado do casal e repassado para outra família cuidá-lo até que o caso de maus-tratos seja esclarecido.

O tutor do pet poderá responder por crimes da lei 9605/98, Art. 32 – Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

Fonte: Correio Central

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.