Em Santos (SP), cadela recebe prótese inédita de dente em 3D

Em Santos (SP), cadela recebe prótese inédita de dente em 3D

Animal recebeu prótese desenvolvida em Cromo e Cobalto por designer do Mato Grosso

Por Carolina Iglesias

Uma cadela de Santos passou por um procedimento inédito na Odontologia Veterinária. Após passar por um tratamento de canal, Hanna, uma labradora de 1 ano e 3 meses, recebeu uma prótese de Cromo e Cobalto, impressa em 3D. Os procedimentos cirúrgicos, que tiveram duração de 1h30, foram realizados na última sexta-feira (1), nas dependências do Centro Universitário Unimonte, em Santos.

Segundo informações do cirurgião-dentista Paulo Miamoto, especialista em Odontologia Legal, a prótese foi feita a partir de imagens do dente quebrado do animal.

“Essa cadela tinha uma fratura em um dente na frente e isso lhe causava muito incômodo quando se alimentava. Ela já havia realizado um tratamento de canal e optamos por restaurar esse dente com uma prótese em 3D, ao invés de optarmos pelos procedimentos convencionais”.

A partir do molde do dente, a prótese foi desenvolvida pelo designer em 3D Cícero Moraes, um pesquisador independente de Mato Grosso. “Ele fez o desenho do dente da Hanna pronto para a impressão, que foi realizada no Centro de Tecnologia da Informação (CTI) Renato Archer, em Campinas. Optamos por esse método com o objetivo de testar novas técnicas, mirando no futuro. Essa nova tecnologia pode ficar mais acessível e beneficiar não somente os animais, como também os humanos”.

SP Santos cadela recebe protese dente 3D2

“Esse é um processo caríssimo. Conheço apenas duas impressoras no País que fazem a impressão em metais. O material é mais resistente do que o próprio dente do animal”, comentou Moraes, lembrando que, para conseguir o modelo correto, o menor objeto que projetou foi espelhado no dente incisivo “irmão gêmeo” do dente danificado. Por meio de cálculos, foi possível adaptar o novo dente ao espaço disponível.

SP Santos cadela recebe protese dente 3D3Moraes explica que o processo de projeção a partir de fotos (fotogrametria) é uma técnica acessível a todos. Antes, o único modo de conseguir uma projeção era por meio de uma tomografia computadorizada do animal, nem sempre autorizada por clínicas.

Além do cirurgião dentista e do designer em 3D, o médico veterinário Roberto Fecchio também participou da cirurgia. Ele conta que, após o sucesso da primeira reconstrução de dente em 3D, o grupo planeja estender a técnica a outros animais. “Apesar de ainda ter um custo muito alto, a prótese em 3D tem uma precisão milimétrica. Com isso, não há desperdício de material. Daqui uns anos, com certeza, será uma técnica muito usada”.

Quanto à recuperação da cadela, conforme o especialista, logo após o procedimento, o animal já pode retomar uma vida normal. Porém, por ser um dente incisivo e com uma sensibilidade diferente dos demais, uma vez que passou por tratamento de canal, alguns cuidados deverão ser adotados.

“Existem sim, restrições. Ela não poderá mais brincar com ossos muito duros ou até mesmo fazer a brincadeira de cabo de guerra. Agora, é preciso um cuidado maior, mas nada que comprometa sua qualidade de vida e bem-estar”.

A dona da cadela, a corretora de imóveis Jeanne Montenegro, de 52 anos, comera o sucesso da cirurgia. “Ela está ótima. Saiu da cirurgia um pouco sonolenta, o que é normal, mas agora está super bem, levada como sempre”, brinca.

Ainda conforme Jeanne, logo após a cirurgia, Hanna já pode se alimentar normalmente. “Ela continua comendo ração, cenoura e maçã, como antes. Só não estou mais dando osso para que ela não quebra a prótese”.

Outros atendimentos

Além deste procedimento, o grupo, conhecido como Animal Avenger, também foi responsável por desenvolver as próteses de bico de um tucano, da arara Gigi, encontrada com o bico danificado, e da gansa Vitória.

O grupo voluntário, formado em 2015 para o tratamento de animais através da confecção de próteses, unindo as tecnologias de computação gráfica e impressão 3D, também conta com o apoio de quatro veterinários (Roberto Fecchio, Matheus Rabello, Rodrigo Rabello e Sergio Camargo).

Fonte: A Tribuna (colaborou Danielle Cameira)

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.