Em São Caetano, ONG SOS Cidadania Animal mantém atendimento aos animais

Em São Caetano, ONG SOS Cidadania Animal mantém atendimento aos animais
Crédito: Divulgação

Diante da pandemia do novo coronavírus, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) publicaram o atendimento médico veterinário sendo considerado parte integrante do sistema de saúde e essencial à saúde pública. Devido a isso, a ONG SOS Cidadania Animal, localizada à Rua Espírito Santo, 746, em São Caetano do Sul, mantém o seu atendimento aos animais, das 9 às 16 horas, especialmente na prevenção de doenças e gerenciamento de emergências.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) enfatizou a importância de os estabelecimentos médico-veterinários serem listados como essenciais para a população no decreto que define as regras para a quarentena.

De acordo com Ubiratan Figueiredo, presidente da ONG SOS CIDADANIA ANIMAL, para manter o atendimento e, ao mesmo tempo, contribuir para conter a proliferação do coronavírus, foram necessárias medidas especiais de inspeção, proteção e higienização. “Temos a obrigação de cuidar da saúde dos animais, mas também de proteger a saúde dos tutores e dos nossos profissionais. Além de seguir e acompanhar todo o protocolo da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do CFMV, e manter as pessoas informadas das medidas de precaução em vigor, contratamos uma empresa especializada para realizar todo o trabalho de desinfecção da clínica”, explica Ubiratan.

Outras normas de atendimentos também foram adotadas pela ONG SOS Cidadania Animal, como restrição de apenas um tutor no acompanhamento de consultas, isolamentos de cadeiras para manter a distância mínima de 2 metros, consultas agendadas e espera na parte externa da clínica para evitar aglomerações, triagem e reprogramação de procedimentos eletivos para evitar exposição desnecessária, reforço na higienização e assepsia de pessoas e consultórios antes e depois de cada atendimento, entre outros.

“Como afirmado anteriormente pela OMS, não há relação de transmissão da Covid-19 por animais. Dessa forma, reforça-se a necessidade de que as pessoas pratiquem a guarda responsável, cuidem da saúde dos seus pets e mantenham as medidas necessárias para evitar a propagação de doenças”, ressalta o presidente da ONG, Ubiratan Figueiredo.

Fonte: ABC do ABC

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.