Em São Luís, MP-MA medeia operação de resgate dos cachorros abandonados no Bairro de Fátima

Em São Luís, MP-MA medeia operação de resgate dos cachorros abandonados no Bairro de Fátima

Em reunião promovida pelo Ministério Público do Maranhão, realizada na última quarta-feira (17), na sede das Promotorias de Justiça da Capital, foi organizada a operação de resgate e acolhimento dos 40 cachorros abandonados em uma residência do Bairro de Fátima, em São Luís. Foi definido também o cronograma de ações para a garantia da proteção dos cães.

Além do MP-MA, participaram do encontro o Corpo de Bombeiros, a Vigilância Sanitária Municipal, a Unidade de Vigilância de Zoonoses, a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), o Conselho Regional de Medicina Veterinária, a Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil, entre outros órgãos.

Coordenou os trabalhos o promotor de Justiça Carlos Augusto da Silva Oliveira, respondendo pela 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente.

A primeira ação foi realizada na última quinta-feira (18), com a triagem dos animais na casa localizada na Rua das Flores, no Bairro de Fátima. O Corpo de Bombeiros, a Vigilância Sanitária e a Unidade de Vigilância de Zoonoses fizeram a contagem, a separação dos animais por sexo e a identificação de possíveis doenças infectocontagiosas, além da limpeza do local.

A retirada dos cachorros será feita de forma gradativa. O Corpo de Bombeiros ficou responsável pela limpeza, transporte e contenção dos animais.

O teste de leishmaniose será feito nos bichos. Os positivos serão encaminhados para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para confirmação. Os negativos serão vacinados contra a raiva. O Hospital Universitário da Uema receberá todos os animais negativados para a realização de exames auxiliares e castração, bem como doação de sete sacos de ração.

Os animais serão transferidos para local definitivo após acerto entre a Comissão de Proteção de Animais da OAB, Organizações Não Governamentais e Prefeitura de São Luís. Uma equipe, sob a coordenação de um deputado estadual, ficará responsável pelo acompanhamento e articulação de outros órgãos com atribuições da matéria e família.

As ações serão acompanhadas pela Comissão de Proteção de Animais da OAB, Conselho Regional de Medicina Veterinária e demais interessados.

Os 40 cachorros foram encontrados neste mês, após informações de vizinhos. Mau cheiro, latidos e disseminação de doenças foram alguns dos problemas apontados pelos moradores do entorno.

Conforme os relatos, um homem de, aproximadamente, 70 anos, que morava sozinho, passou a trazer, cada vez mais, cães para a casa. Com a saúde debilitada, ele precisou de ajuda e foi encaminhado para tratamento médico.

Fonte: Blog do Marcial (Informações do MP-MA)


Nota do Olhar Animal: A matéria não indica o destino dos animais identificados com leishmaniose. Foram mortos?

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.