Em seis meses, Polícia Civil de Toledo (PR) atendeu diversos casos de maus-tratos a animais

Em seis meses, Polícia Civil de Toledo (PR) atendeu diversos casos de maus-tratos a animais

Deixar o animal adoecer, deixá-lo preso em corrente curta, não alimentá-lo, não hidratá-lo deixá-lo sob sol e chuva são os motivos mais comuns de denúncias que chegaram a Policia Civil de Toledo no primeiro semestre de 2020.

De acordo com Antônio Donizete Botelho, Delegado da Subdivisão Policial de Toledo, os casos de maus-tratos aos animais que resultaram em denúncias formais na polícia tem alcançados resultados importantes na questão de conscientização da população, mas principalmente na responsabilização penal dos que infringem a lei ambiental.

A Investigadora de Policia Rosangela Zanetti, que tem feito os atendimentos de crimes previstos na Lei Federal nº. 9.605, de 12.02.1998 (Lei de Crimes Ambientais) na esfera da Policia Civil de Toledo, orienta que caso o cidadão presencie maus-tratos a animais de quaisquer espécies, sejam domésticos, domesticados, silvestres ou exóticos – como abandono, envenenamento, presos em espaço incompatível ao porte do animal ou em local sem iluminação e ventilação, rinhas, etc., faça a denúncia via 197 (Policia Civil), 181 (Disk Denúncia), 156 (Ouvidoria da Prefeitura Municipal de Toledo) ou procure pessoalmente à Delegacia de polícia para lavrar o Boletim de Ocorrência (BO) ou compareça à Promotoria de Justiça do Meio Ambiente.

A Policia Civil (PCPR) também ressalta a importância do denunciante em descrever com exatidão os fatos, o local e, se possível, o nome e endereço do(s) responsável(s), bem como, caso haja possibilidade, alguma evidência, como fotos, vídeos. Quanto mais detalhada a denúncia, melhor.

O trabalho da Policia Judiciária tem sido integrado com a AFOCATO (Associação dos Focinhos Carentes de Toledo), Secretaria Municipal do Meio Ambiente, profissionais da área de medicina veterinária, protetores independentes além de Empresas do ramo veterinário que tem contribuído o primeiro atendimento do animal como banho e tosa e consultas.

Por Ricardo Oliveira

Fonte: CGN (Assessoria)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.