Em um abrigo, cadela de 18 anos encontra o tutor perfeito

Em um abrigo, cadela de 18 anos encontra o tutor perfeito
Foto: Humane Rescue Alliance

Julep tinha 18 anos quando o inesperado aconteceu – seu tutor faleceu. Sem amigos ou família para ficar com a cadela idosa, uma difícil decisão foi tomada – Julep teve que ir para um abrigo.

No início de março chegou à Humane Rescue Alliance (HRA), em Washington, D.C. Os funcionários da ONG deram a Julep sua própria casinha, cheia de cobertores e brinquedos de cachorro. Eles deram carinho e atenção. Mesmo assim, foi muito difícil para Julep se adaptar, pois já era uma cadela idosa.

Foto: Humane Rescue Alliance

“Ela claramente tinha vindo de uma casa e estava acostumada com esse estilo de vida”, disse Matt Williams, diretor de comunicações da HRA, ao The Dodo. “Então, eu achei que ela estava um pouco ansiosa por estar ali, provavelmente tentando descobrir o que estava acontecendo.”

Como o objetivo do abrigo é fazer com que todos os cães sejam adotados, os funcionários estavam ansiosos em fazer com que Julep tivesse um novo lar. Mas era muito difícil encontrar alguém que quisesse ficar com ela.

“Não há muitas pessoas procurando por cães idosos” disse Williams. Então, sempre que recebemos um cachorro mais velho, demora certo tempo para que o mesmo seja adotado, mas um cachorro com 18 anos, você não vê isso com frequência.

Foto: Humane Rescue Alliance

Três semanas se passaram, e Julep ainda estava vivendo em seu cantinho. Mas a equipe do abrigo, não desistiu.

“Ela tinha sido o nosso animal de estimação por semanas, e nós estávamos fazendo nosso melhor”, disse Williams.

Uma postagem no Facebook chegou até a pessoa certa – um morador da região, chamado Wayne Lerch, que recentemente perdeu seu pitbull de 11 anos de idade, chamado Jasmine.

Há cerca de duas semanas, ele visitou o abrigo para encontrar Julep. A conexão entre eles foi imediata.

Foto: Humane Rescue Alliance

“Foi tudo muito rápido”, disse Williams. “Não havia dúvida. Ele sentia que quando visse o cachorro certo, ele saberia. Ele ficou tocado com o fato de que ela pode não ter muito mais tempo de vida, e precisa passar seus melhores anos em uma casa, e não em um abrigo.”

“Você poderia dizer que Wayne estava acostumado a ter cachorros mais velhos por perto”, acrescentou Williams. Julep gosta de latir, especialmente quando não tem uma guloseima à sua frente, mas isso não afetou Wayne. Ele lhe deu um mimo, e assim se tornaram melhores amigos.

Foto: Humane Rescue Alliance

Curiosamente, Lerch tinha ido até o abrigo de moto, caso ele decidisse não ficar com ela.

“Ele arriscou um palpite”, disse Williams. “Eu acho que ele gostaria de dizer: Não posso levá-la agora. Eu estou de moto. Se eu me interessar, eu volto.” “Mas ele soube naquele momento que ela era o cachorro certo para ele, então, voltou para casa, estacionou sua moto, entrou no carro e voltou.”

Uma hora depois, Julep foi para casa com seu novo papai. Agora essa dupla está amando cada minuto juntos.

“Tudo parece estar ótimo”, disse Williams. “O que eu sei é que Julep, em seu primeiro dia, dormiu até por volta das 10h30 da manhã, provavelmente porque podia. Não havia outros cães latindo nem nada ao seu redor, então ela tirou vantagem disso.”

Lerch mudou o nome de Julep para “Tootie”, em homenagem à sua amada avó.

Foto: Humane Rescue Alliance

Enquanto Tootie tem um lar feliz, a HRA tem muitos outros cães idosos que precisam de lares amorosos.

“Há benefícios em adotar cães ou gatos mais velhos”, disse Williams. Certamente eles já passaram da fase de filhotes. Eles não vão mastigar as coisas. Provavelmente eles não vão precisar de muito exercício. Eles não serão tão agitados.

Mas Williams disse que é preciso um tipo certo de pessoa para adotar um cão mais velho. E Lerch, ele acredita, é uma delas.

Foto: Humane Rescue Alliance

“Eu acho que ele se sente afortunado de estar com ela, o que diz algo sobre a pessoa que ele é” disse William.

Ajude a organização a salvar mais gatos e cães fazendo uma doação.

Por Elizabeth Claire Alberts / Tradução de Júlia Andrade Lima

Fonte: The Dodo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.