Empresa é condenada a pagar multa de R$ 20 mil por morte de cachorra, em Foz do Iguaçu, PR

Empresa é condenada a pagar multa de R$ 20 mil por morte de cachorra, em Foz do Iguaçu, PR
Segundo a tutora de Amora, a cachorrinha era carente e super dócil — Foto: Thandara Luana dos Santos/Arquivo pessoal

A empresa B&B Engenharia foi condenada a pagar uma indenização de R$ 20 mil por danos morais e materiais pela morte de uma cachorra, segundo a 4ª Vara Cível de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

De acordo com o processo, o funcionário da empresa teria sido atacado pela cachorra Amora e, para se defender, usou um objeto de metal para bater nela. Devido aos ferimentos, segundo a dona, Thandara Luana dos Santos, após alguns dias o animal morreu, em janeiro de 2019. A condenação é de segunda-feira (9) e ainda cabe recurso.

“A Amora foi socorrida, mas não voltou a andar e nem podia mais se alimentar sozinha. Ficou muito debilitada e não resistiu depois de passar cerca de duas semanas em casa”, contou. 

A cachorra era de pequeno porte e tinha cerca de 20 centímetros. Por isso, o juiz Rogerio de Vidal Cunha entendeu que não seria necessário agredir o animal, que Amora poderia ter sido afastada de outra forma pelo funcionário.

Segundo Santos, o funcionário prestava serviço na casa dela, para checar o medidor de água, quando o caso foi registrado.

O G1 aguarda retorno da empresa B&B Engenharia.

Segundo Thandara, Amora voltou do veterinário sem conseguir comer sozinha e debilitada. — Foto: Thandara Luana dos Santos/Arquivo pessoal

Danos morais e materiais

Para a tutora de Amora, mexer com o processo foi doloroso, pois a fazia lembrar da cachorrinha.

“Tive que reviver um momento que resumo bastante aqui, mas foi de muito terror e estresse com toda a maldade e violência com que a Amorinha foi tratada. Ela era muito amada e tratada sempre como um membro da família, com todo o carinho”, disse.

De acordo com a sentença ainda, o juiz afirmou que os animais de estimação fazem parte da vida afetiva das pessoas, dessa forma, definiu a indenização porque entende que a morte do animal causa sofrimento moral e psicológico à tutora de Amora.

Thandara Luana dos Santos disse ainda que apesar da empresa poder recorrer, ela acredita que o resultado da indenização é uma forma de ver que a Justiça reconhece a importância de um animal de estimação.

“Espero que o caso possa servir de inspiração para que outras pessoas que, infelizmente, venham a passar por essa situação, tenham coragem de denunciar. Que não deixem que as pessoas que cometam esses crimes contra os animais fiquem punição e que as empresas qualifiquem, e instruam adequadamente seus funcionários, antes que sejam mandados para um trabalho nas ruas.”

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.