Empresário é acusado de matar cachorro a chutes em Horizontina, RS

Empresário é acusado de matar cachorro a chutes em Horizontina, RS
Imagem Ilustrativa - Foto: Pixabay

A tutora de um um cachorro de pequeno porte, tem recebido a solidariedade da comunidade, ao relatar nas redes sociais que um empresário teria agredido seu animal a chutes, e que isso causou a morte do mesmo.

Segundo relatado, o caozinho teria sido jogado a chutes para fora de um estabelecimento em Horizontina, no Noroeste do RS, tendo causado a morte do pequeno animal, e após, o acusado teria colocado ele dentro de um saco de LIXO e descartado.

A tutora do animal diz ter tentado conversar com o agressor e teria sido tratada com arrogância e grosseria. O agressor teria usado como justificativa que o pequeno animal entrou agressivo em seu estabelecimento e o tentou morder.

A reportagem do Jornal Folha Cidade, entrou em contato com o Delegado de Polícia Dr. Antônio Matter Soares, que confirmou que sua equipe está investigando a ocorrência. Em nota, o Delegado destaca o registro:

“Um cão foi morto na área central da cidade de Horizontina, próximo a um estabelecimento comercial, na data de ontem,02/09. Informações preliminares dão conta de que um animal de pequeno porte adentrou em um estabelecimento e teria sido arremessado com violência para fora, falecendo no local. O fato foi registrado nesta sexta-feira 03/09 na Delegacia de Polícia pela tutora do animal, quando as diligências investigatórias tiveram início. A Polícia Civil instaurou Inquérito Policial para apurar os fatos, havendo suspeitas acerca da autoria do delito. A Lei n° 14.064, do ano de 2020, enrijeceu o tratamento penal àquelas pessoas que cometam maus tratos contra cães e gatos, havendo previsão de pena de 2 a 5 anos de prisão, além de multa”, destaca.

Em centenas de comentários as pessoas manifestam indignação pelo ocorrido.

A ocorrência de maus tratos em cães e gatos é crime, e a lei prevê pena de dois a cinco anos de reclusão e pagamento de multa. O crime deixou em 29 de setembro de 2020 de ser considerado de menor potencial ofensivo, e pela lei atual, assinada pelo atual presidente Jair Bolsonaro, o agressor fica com registro de antecedente criminal e, se houver flagrante, pode ser levado para a prisão.

Fonte: Portal In Foco RS

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.