Enchente mata 17 animais em canil de Matão, SP, denunciam voluntários

Enchente mata 17 animais em canil  de Matão, SP, denunciam voluntários

Prefeitura afirma que transferência do abrigo para nova área já foi aprovada. Internautas foram até o local depois de serem avisados por redes sociais.

SP matao materia abreA chuva forte que atingiu Matão (SP) na terça-feira (4) causou uma enchente que matou pelo menos 17 animais no Canil Municipal, de acordo com a Secretaria do Meio Ambiente. Segundo alguns voluntários, a única ponte de acesso para o canil foi destruída pela chuva e a estrutura do local é precária. Ainda segundo eles, a situação do canil durante a chuva foi informada em um pedido de socorro publicado na página do canil, no Facebook. A Prefeitura informou que o abrigo de animais não está preparado para chuvas desse porte e que deve ser transferido para outra área. Não há prazo para a mudança.

A Prefeitura confirmou a morte de 10 filhotes de cachorro, seis filhotes de gato e um cão adulto. A primeira postagem de alerta a respeito do que se passava no canil foi feita às 19h do dia 4. Nela, uma internauta afirmava que animais estavam se afogando. Abilene Shimada foi uma das internautas que, após ficar sabendo da situação, se dirigiu ao local com seu marido. “Com a chuva, não tinha como chegar até, pois há uma ponte no caminho que caiu por conta do alagamento. Tivemos que fazer uma rota alternativa que leva muito mais tempo, e ainda tivemos que parar no meio do caminho, onde apenas jipes e caminhonetes conseguiam passar. Havia muita lama e buracos”, explicou.

De acordo com Abilene, muitos dos moradores estão, assim como ela, recolhendo doações de materiais que possam ajudar o abrigo de animais, como toalhas, shampoo, ração, cobertores e secadores. “Qualquer tipo de doação é bem vinda, até mesmo em dinheiro. Precisamos salvar esses animais”, pediu.

Jaqueline Rosa é voluntária no canil e ajuda no cuidado dos animais. A mulher afirma estar revoltada e diz que a instituição não possui a estrutura necessária para garantir o funcionamento. “Vi a postagem no Facebook e corri para o canil com minha mãe e um amigo. Foi muito triste quando chegamos lá. Apesar de muita gente (inclusive ligados à administração municipal) dizer que estava tudo bem, a situação era horrível”.

Ainda existem cerca de 200 animais, entre cães e gatos, no Canil Municipal, que foram resgatados e tratados. Nenhum deles corre risco de vida.

Prefeitura

De acordo com a Prefeitura de Matão, o canil deve ser transferido para outro lugar. O órgão afirma que devido ao atual local ser propício a alagamentos, o prefeito José Francisco Dumont (PT) autorizou a procura de uma nova área para a construção de um novo espaço. No entanto, ainda não há previsão para a mudança.

SP matao entradaEm nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura explicou que havia divulgado erroneamente o número de animais mortos por conta do barro, que cobriu os corpos dos filhotes. “O que aconteceu é que a primeira informação que tínhamos de manhã, por volta de 7h30, era mesmo da morte de um cão adulto que estava com a saúde debilitado e não resistiu. À medida que foram realocados os animais e iniciada limpeza do canil que foi invadido por água e barro, foram encontrados os filhotinhos. Eles foram recolhidos pelo Núcleo de Gerenciamento Ambiental para desinfecção e incineração”, explicou.

O comunicado também afirma que o abrigo está preparado para lidar com chuvas rotineiras. “No caso de ontem foi uma situação totalmente adversa que nunca ocorreu antes em Matão nos últimos 40 anos, de acordo com registros da Casa da Agricultura e da Defesa Civil. Outro detalhe importante é ressaltar que em dez anos de existência do canil esta foi apenas a segunda vez que fato parecido ocorreu, sendo que na primeira foi devido ao estouro de uma represa do local onde está instalado o canil, algo impossível de se prever”, afirmou a nota.

Além disso, a Prefeitura reafirmou seu compromisso com os animais. “Por precaução, os animais menores e filhotes foram encaminhados momentaneamente para lares e abrigos temporários de voluntários. Para abrigar os maiores, foram instalados pallets de madeira para que eles se acomodem em pontos mais elevados. A Prefeitura em momento algum deixou de prestar assistência aos animais e já está executando a limpeza e os reparos necessários. Além dos funcionários da Prefeitura, um grande número de voluntários (integrantes da ONG, profissionais da área veterinária, entre outros) trabalham para dar apoio aos animais.

SP matao alagado

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.