Entenda a importância da doação de sangue para os animais

Entenda a importância da doação de sangue para os animais

A cachorrinha Tieta, assim como a personagem de Jorge Amado, é dura na queda. Por conta de uma anemia profunda, causada pela doença do carrapato, o animal precisou passar por uma transfusão de sangue. “Eu me mudei para outra cidade e a Tieta ficou. Quando fui informado da doença, ela já estava em um estado avançado e a única opção era fazer a transfusão”, conta Jefferson Minoru, dono da pequena.

Segundo a veterinária Milene Iyeiri, que atendeu Tieta, a doença do carrapato é uma das principais causas que levam à transfusão de sangue. “A doença atinge a medula óssea e afeta a produção de plaquetas, células brancas e células vermelhas. Isso depende do tipo de carrapato que infectou o animal”, explica Milene.

Darah foi a doadora para a transfusão de Tieta
(Foto: Mônica Mendonça/Arquivo pessoal)

Depois de buscar por bolsas de sangue em clínicas de Sorocaba (SP) e da capital paulista, sem sucesso, Jefferson recorreu às redes sociais para encontrar um cão doador. “Eu tentei uma última chance, coloquei um post no Facebook e, incrivelmente, ele teve uma boa repercussão. Em questão de minutos, a Mônica, tutora da cachorra Darah, entrou em contato dizendo que queria fazer a doação”, relembra Minoru.

O amor por animais fez com que Mônica Mendonça atravessasse a cidade para ajudar a valente Tieta. “Eu moro na Zona Oeste e a doação ocorreria na Zona Norte. Chovia muito e o trânsito ficou muito lento. Eu estava desesperada para chegar a tempo, pois talvez Tieta não resistisse mais um dia, mas graças a Deus deu tudo certo! Doar faz mais bem para quem doa do que para quem recebe, recomendo”, constata Mônica.

Tieta superou as expectativas, mas ainda necessita de cuidados. “Como a doença atinge a medula óssea, em alguns casos a transfusão não funciona, porque o organismo não está produzindo as células. A Tieta fabrica, mas não tanto quanto ela consome. Então a gente usa um medicamento para estimular a medula óssea e a produção de células brancas”, esclarece Iyeiri.

A transfusão

A transfusão de sangue é realizada de acordo com a necessidade de cada animal, e para cada uma delas existe um tipo específico de sangue. “A transfusão pode ser feita com sangue fresco, refrigerado, concentrado de plaquetas e papa de hemácia. Vai depender do que o animal precisa. No caso da Tieta, como era algo urgente, mesmo ela tendo baixa de plaquetas e células vermelhas, o mais indicado era o sangue fresco”, explica a veterinária.

A transfusão de sangue não é uma exclusividade dos humanos e dos cães. “Gatos também podem passar pelo procedimento, mas é mais difícil, porque o sangue tem que ser coletado exclusivamente da jugular, as veias da pata não são espessas o suficiente. Os gatos podem doar pouco. Então, se um felino precisar de muito sangue, serão necessários vários animais para realizar o processo”, informa Milene.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.