Entidades de proteção animal pedem o retorno do Castra Móvel em Sorocaba, SP

Entidades de proteção animal pedem o retorno do Castra Móvel em Sorocaba, SP
Veículo do Castra Móvel agora atende ações da Secretaria de Meio Ambiente (Foto: LUIZ SETTI/ARQUIVO JCS)

Há mais de um ano, a Prefeitura de Sorocaba desativou o serviço Castra Móvel, unidade de castração de cães e gatos da Seção de Controle Animal da Zoonoses, que não tem previsão de retorno. A expectativa de entidades que atuam na causa animal é que o atendimento nos bairros voltasse este ano. Agora, os representantes dessas entidades se dizem preocupados com a situação, pois conforme eles, está tendo um aumento da população de cães e gatos na cidade.
Eliana Alegretti, presidente da Fundação Alexandra Schlumberger, que atua na cidade há 25 anos, e que tem como uma das principais causas a defesa da castração visando o controle da população animal na cidade, afirma que o serviço é importante para Sorocaba e que tem de ser aliado a campanhas de orientação da população, sobre a questão da posse responsável.

Ainda de acordo com Eliana, o primeiro local em que o Castra Móvel deveria atuar é nos abrigos de animais, onde há vários deles se proliferando. “Têm pessoas que querem ajudar os animais, querem proteger, mas acabam não dando conta. Não basta acolher e ficar depois desesperado pedindo ração, tem de ter condições de dar atenção, vacinar, dar banho”, afirma.

Eliana lembra de casos de pessoas que acabam assumindo a responsabilidade de cuidar de 60, 80 animais, e aí fica uma sobrecarga para todos. “E quem padece é o animal. É preciso estabelecer um limite, para cuidar de maneira adequada”, diz.

Saúde e educação

A Prefeitura, na opinião de Eliana, deveria realizar um trabalho conjunto, envolvendo saúde e educação. “É preciso fazer campanhas de conscientização da população”, reforça ela, que afirma ter observado o número cada vez mais crescente de animais abandonados na cidade. “A questão animal é um problema de saúde pública, que afeta até quem não gosta de bicho, pois eles podem transmitir doenças se não forem bem cuidados”, acrescenta.

Fernanda Aline Silva, da ONG Lar São Francisco, também defende que tem de ter a castração mas aliada à conscientização. “A Prefeitura deveria realizar mais palestras e mostrar para a população os benefícios da castração para a saúde e o bem-estar do animal”.

Assim como Eliana, Fernanda afirma que também tem observado um aumento do número de animais abandonados na cidade. “E nós, as ONGs, estamos fazendo um trabalho que a Prefeitura deveria fazer. Eu chego a pagar para pessoas que não têm condições financeiras castrarem os seus animais, mas a demanda é muito grande e a gente não dá conta”.

Educação Ambiental

De acordo com a Prefeitura, a estimativa de cães e gatos na cidade de Sorocaba é de 82 mil animais. O órgão municipal informa que a Seção de Zoonoses continua com o programa de controle animal e realiza a castração gratuita de cães e gatos conforme cadastramento oferecido aos interessados. Durante todo o ano de 2016, a Zoonoses castrou 2.226 animais, entre cães e gatos. Quanto ao Castra Móvel, ele foi passado para a Divisão de Bem Estar Animal da Secretaria de Meio Ambiente, Parques e Jardins em janeiro de 2016 e foi adaptado para ser utilizado nas ações de Educação Ambiental.

Por Daniela Jacinto

Fonte: Cruzeiro do Sul 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.