Envenenamento de gatos apavora moradores de Lafaiete, MG

Envenenamento de gatos apavora moradores de Lafaiete, MG

Por Rafaela Melo

sp saosebastiao envenenargatos2

A ação criminosa de uma pessoa, ou grupo de pessoas, tem tirado a vida de vários cães e gatos na rua Doutor Campolina, no São Sebastião, na zona oeste de Lafaiete. Um após outro, os animais têm sido encontrados agonizando ou já sem vida, provocando revolta e tristeza na comunidade, que cobra atitude por parte do Centro de Controle de Zoonoses. Carne supostamente envenenada tem sido, constantemente, encontrada próximo às vítimas. Moradores desconfiam da autoria, mas não agem diretamente, por medo de represálias.

Sem conseguir suportar mais os atos de crueldade, a balconista Vilma Lúcia, 50 anos, entrou em contato com a nossa Redação na segunda-feira, dia 18 e, ao lado de outras moradoras, revelou detalhes do crime: “Minha vizinha já foi a minha casa várias vezes falando que mataram os bichinhos dela. Acho que o mesmo está acontecendo na casa da minha mãe: os gatinhos estão sumindo e estou desconfiada de que eles estão jogando veneno na comida para eles, em cima da laje, para matar. Um gatinho e um cachorro já morreram assim. A gente tenta prender, mas eles fogem. Tenho suspeita de quem seja. Fazem isso de maldade; por covardia mesmo”, desabafa.

Com um misto de tristeza e indignação, a dona de casa Flaviana Cristina dos Santos, de 38 anos, lembra que esse teria sido do 3º gato morto nos últimos dias: “Há alguns dias morreu uma gata, mãe dos dois que morreram hoje [dia 18]. Encontrei ela morta debaixo do ônibus. De manhã, quando saí de casa os dois estavam vivos. Quando voltei, achei um próximo ao varal e o outro agonizando. Achei uma sacola debaixo do ônibus com restos de carnes e eles estavam comendo. Meus filhos estão muito chateados. O gatinhos não atrapalhavam ninguém. Temos amor aos bichinhos”, afirma Flaviana. E se os animais que estão em casa parecem não estar em segurança, o mesmo é dito daqueles que se encontram soltos pela rua. “Têm muitos animais soltos por aí. Principalmente cães. Eles ficam próximo ao campo do Guarani. Ficamos com medo, porque eles são agressivos. Chegam a atacar quem passa de moto. É perigoso para as pessoas e para eles. Acho que o CCZ deveria recolher esses animais. Eles não podem continuar por aí”, pondera Vilma.

Um dia após a nossa visita, a leitora Vilma Lúcia relatou a morte de outro cão por envenenamento.

Enviamos ofício para o Centro de Controle da Zoonose (CCZ) e Assessoria de Comunicação da Prefeitura, mas até o fechamento desta edição, não havíamos recebido respostas.

Fonte: Jornal Correio

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.