Espanha: ativista pula dentro de arena para consolar um touro que estava morrendo

Espanha: ativista pula dentro de arena para consolar um touro que estava morrendo

“Escutei ele chorando de dor e pulei, caminhei pela arena até chegar onde ele estava morrendo”, explicou a ativista para a imprensa.

Em um extraordinário ato de coragem, uma ativista dos direitos dos animais pulou dentro da arena para consolar a um touro moribundo enquanto acontecia uma tourada em Málaga, na Espanha. Por alguns momentos Virginia Ruiz, de 38 anos, foi capaz de colocar seu corpo sobre o touro e protegê-lo dos funcionários da arena. “Ele me olhou e acredito que sentiu minha energia. Queria dar amor a ele antes de abandonar este mundo”, disse.

Enquanto ela era retirada de perto do touro, a multidão de aficionados por touradas vaiava, gritando “Fora!”, em uníssono.

O touro foi apunhalado até a morte.

A Sra. Ruiz assistiu à tourada somente nesse dia, que tinha entrada livre, ela não comprou a entrada para a arena de nove mil lugares. Ela afirmou que sua intenção era simplesmente filmar a crueldade na arena, que tinha somente três quartos de lugares preenchidos, apesar da entrada gratuita.

Impulsivamente, quando ouviu o touro gritar, ela pulou e andou até ele. “Porque eu estava caminhando, e não correndo, eles [o público] ainda não tinham se dado conta que eu sou uma ativista, até que cheguei muito perto do touro”, disse Ruiz. “Ele ainda estava vivo antes que pudessem dar a punhalada final com a pequena faca na parte posterior do pescoço. Ele estava chorando, tentando olhar para as pessoas”, disse.

Sra. Ruiz, que é uma ativista contra as touradas desde 2008, disse que havia no total somente 1.500 pessoas no público. O lado da arena que estava sob o sol estava vazio e o lado com sombra estava somente três quartos cheio.

ESPANHA tourada 300xEla vai receber uma notificação por invasão e terá que pagar uma multa de até 6.000 euros.

O Parlamento Europeu subsidia o esporte sangrento das touradas com 600 milhões de euros ao ano.

“Sinto que estava fazendo a coisa certa”, disse Ruiz. “Ele sabia que eu estava lutando pelos seus direitos”.

Fonte: El Diario

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.