Especialista em tráfico de marfim é morto no Quênia

Especialista em tráfico de marfim é morto no Quênia
Esmond Bradley Martin arriscou sua vida para fotografar e documentar secretamente vendas ilegais de marfim e chifres de rinoceronte (Foto: AFP)

Um especialista mundial em tráfico de marfim, o americano Esmond Martin, autor de vários relatos sobre a luta contra a caça ilegal de elefantes, foi assassinado em sua casa no Quênia, anunciou a polícia nesta segunda-feira.

Esmond Martin, de 75 anos, foi esfaqueado no domingo à noite em sua casa em Karen, subúrbio residencial de Nairóbi.

“Encontramos o corpo com ferimentos de arma branca e tentamos estabelecer quem o matou e por que”, disse o chefe da polícia de Nairobi, Japheth Koome.

Martin, que residia há décadas no Quênia, estava investigando o comércio ilegal de marfim, particularmente o mercado na China, Hong Kong, Vietnã e Laos.

Suas contribuições ajudaram a China a decidir, em 2017, fechar o mercado legal de marfim, segundo Paula Kahumbu, diretora da Wildlife Direct, uma organização de proteção animal.

A caça ilegal para alimentar o comércio de marfim levou à morte de mais de 110 mil elefantes nos últimos dez anos.

Os conservacionistas acreditam que o comércio do marfim é em grande parte responsável pelo declínio do número de elefantes no mundo (Foto: AFP)
Foto: Getty Images

Fonte: DC

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.