Esta única foto revela o trágico destino dos elefantes cativos

Esta única foto revela o trágico destino dos elefantes cativos
Fotos: Elephants DC/Facebook

Elefantes são, por natureza, seres altamente sociais e inteligentes. Na natureza, eles vivem em manadas matriarcais bem fechadas, lideradas pela fêmea mais velha, e formadas pelas suas filhas e os filhotes destas. Os machos adultos vivem em grupos separados de “solteiros”. Eles já se mostraram repetidamente ser extremamente sensíveis ao ambiente e capazes de sentir emoções profundas – eles lamentam quando um ente querido morre e  sabem como distinguir entre humanos que querem fazer mal a eles e humanos que são seguros.

Na África, os elefantes estão tragicamente ameaçados de extinção por causa do comércio ilegal de marfim. Estima-se que um elefante africano perde sua vida para um caçador a cada quinze minutos e 35.000 são mortos a cada ano.

Elefantes asiáticos, enquanto isso, sofrem abuso desenfreado na indústria de turismo com elefantes na Tailândia. Separados de suas mães quando ainda muito jovens, forçados a enfrentar um processo de treinamento que quebra seus espíritos e os torna dóceis, e feridos repetidamente com pregos ou outros instrumentos pontiagudos se eles não conseguem fazer uma performance da forma que seus cuidadores querem, elefantes que estão presos nessas situações sofrem uma vida que não é nada menos que miserável.

Esta única imagem desoladora mostra exatamente como é a vida para os elefantes bebês em cativeiro.

A corrente ao redor do pé deste bebê de um ano de idade imediatamente o marca como um elefante cativo. Entretanto, é a expressão de desespero óbvio em seus olhos que se destaca como a característica dominante da fotografia. Para qualquer amante de animais vendo esta imagem, é impossível não ter empatia pelo lindo elefante, e desejar fazer o possível para ajudá-lo.

Seu nome é Raja, e sua história foi verdadeiramente trágica. Ele foi arrancado de sua mãe quando ainda tinha alguns meses de idade e foi acorrentado em uma árvore em um vilarejo na Sumatra. Os aldeões alegaram que suas plantações tinham sido danificadas pela família do elefante e, inacreditavelmente, decidiram mantê-lo prisioneiro como forma de retaliação. Apesar dos esforços dos ativistas dos direitos dos animais para que ele fosse libertado, Raja logo acabou morrendo devido a essas condições deploráveis.

A ONG Elephants DC disse, “Nós sabemos que havia um grupo de defesa tentando ajudar, mas Raja estava muito desnutrido e de coração partido… foi muito pouco, muito tarde. Nós nunca iremos nos esquecer”.

Enquanto nada pode ser feito agora por este lindo bebê, a Elephants DC e outros grupos estão determinados a lutar pela liberdade de todos os outros elefantes em cativeiro.

Por Aisling Maria Cronin / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.