Estabilizando a dor dos choques

Estabilizando a dor dos choques

Por Dr. phil. Sônia T. Felipe

SONIA 2499991915744659232 n

Cavalo ricamente apetrechado, com freios desenhados para facilitar a aplicação dos choques neurocraniais que o cavaleiro tem que aplicar à boca do cavalo, sob pena de esse não lhe obedecer.

Não existem “mãos macias”, afirma Alexander Nevzorov. Existem treinamentos para ensinar ao humano montado sobre o lombo do cavalo como fazer doer de modo lancinante os nervos que se espalham pela face e crânio, deixando o animal aturdido de dor. Esse é o segredo da equitação, confessa o treinador de cavalos da Nevzorov Haute École, o resto é apenas glamour construído para acobertar a realidade da dor e do sofrimento dos animais não humanos forçados a viverem sob os traseiros humanos.

Eles chamam a esse aparato de “estabilizador”. Muito oportuna a palavra: estabilizar a dor.

É isso que o montado faz com os freios chiques enfiados na cavidade bucal do equino: ele dá choques e tem macetes para estabilizar a dor.

Quem sabe estabilizar bem a dor que inflige é um cavaleiro de “mãos macias”.

Ai, bota o freio nele e usa o “estabilizador” para estabilizar uma vez bem estabilizada a dor na face e no crânio dele? Queria ver ele chamar isso de “macio”, queria ver esse cavaleiro do mal beijar a mão em gratidão por tamanha “maciez” na aplicação da dor.

Céus! Vai faltar perdão!


{article 105}{text}{/article}

Olhar Animal – www.olharanimal.org

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.