O funcionamento do SAMUvet será realizado durante 24 horas (Foto: Reprodução)

Estruturas para receber animais do Samu Veterinário, em Goiânia, não estão finalizadas

A lei para criar o Serviço de Atendimento Móvel Veterinário (SAMUvet) foi promulgada na última segunda-feira (11) pela Câmara Municipal de Goiânia, no entanto, ainda não há estrutura necessária para atender os animais de rua. Segundo a Lei, a Prefeitura deve disponibilizar resgate e socorro a animais que vivem em vias públicas. Contudo, ainda está em processo de licitação a compra de veículos especializados e da estrutura física para atendimento veterinário na capital.

O autor do projeto, vereador Zander Fábio (Patriotas), relatou em entrevista que o prazo de implementação é de 90 dias. Ou seja: no início de fevereiro de 2020. Além disso, ressaltou que várias viaturas e também veículos Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura Municipal de Goiânia estão sendo reformados. “Agora eles têm que cumprir a lei, fazer os mecanismos necessários. Inclusive, farei emendas impositivas de recurso para novas viaturas”, disse Zander.

Entenda a lei 10.414

O SAMUvet pode ser acionado apenas pelo Centro de Operações da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros ou Guarda Civil Metropolitana. O atendimento avalia se o animal precisará passar por procedimentos de cirurgia ou algum tratamento especial. Além disso, quando necessário, os bichos serão encaminhados ao Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura Municipal de Goiânia.

O funcionamento do SAMUvet será durante 24 horas por dia. O serviço é direcionado a animais de rua como cães, gatos e cavalos. Os principais casos de atendimento serão por situação de risco, atropelamento em via pública, maus-tratos. Também estão inclusos atendimentos a cavalos soltos em via pública que podem prejudicar o trânsito de pessoas e veículos.

Por Marcela Costa, do Mais Goiás

Fonte: Mais Goiás

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.