EUA: juiz nega a custódia de 228 aves a homem de San Antonio acusado de rinhas de galo

EUA: juiz nega a custódia de 228 aves a homem de San Antonio acusado de rinhas de galo
Morales disse que era inocente, afirmando que estava apenas organizando um churrasco e um “show de aves” antes da chegada dos policiais.

Em um desenvolvimento legal significativo, um juiz decidiu hoje contra Paul Morales, acusado de crueldade contra animais em relação a uma rinha de galos ilegal supostamente realizada em sua propriedade.

A decisão garante que Morales não recuperará a custódia das 228 galinhas e galos recuperados de sua casa em South Side.

Durante os procedimentos judiciais, os delegados do Condado de Bexar testemunharam o confisco de parafernália ilegal associada a brigas de galo na propriedade de Morales, incluindo troféus, varas e pequenas lâminas usadas em galos durante as brigas.

Morales disse que era inocente, afirmando que estava apenas organizando um churrasco e um “show de aves” antes da chegada dos policiais.

Apesar do apelo de Morales, o juiz determinou que nenhuma das aves confiscadas seria devolvida a ele. Em vez disso, o estado solicitou sua doação ou transferência para um terceiro capaz de cuidar dos animais.

Uma organização que defende o bem-estar dos animais, a Showing Animals Respect and Kindness (SHARK), opinou sobre o assunto.

Steve Hindi, fundador da SHARK, destacou a preocupante disparidade na percepção da sociedade sobre o abuso de galinhas e galos em comparação com outros animais.

“Não comemos cachorros e gatos, mas a sociedade em geral come galinhas. Portanto, isso coloca as coisas em um nível totalmente diferente”, observou Hindi.

Ele enfatizou a falta de equivalência entre consumir um animal e submetê-lo a práticas brutais de luta.

Hindi alertou ainda sobre as implicações mais amplas desse tipo de abuso, afirmando que ele não apenas promove uma porta de entrada para outras atividades ilegais, mas também apresenta riscos à saúde humana.

“Essas gripes aviárias e várias doenças aviárias… essas pessoas estão trazendo essas aves de um lado para o outro do país; elas também estão agindo como vetores de doenças”, acrescentou.

A próxima audiência de Morales está agendada para junho, quando se espera que outros procedimentos legais relativos ao caso sejam realizados.

Por Ethan Trejo / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: FOX SA

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.