EUA: São Francisco proíbe venda de gatos e cães de criação em lojas de animais

EUA: São Francisco proíbe venda de gatos e cães de criação em lojas de animais
Foto: Facebook

A partir de agora, São Francisco, nos Estados Unidos, junta-se a outras cidades norte-americanas, como Los Angeles, Chicago, Filadélfia ou Austin, ao impedir a venda, em lojas de animais, de cães e gatos que não tenham sido resgatados da rua e que tenham menos de oito semanas de vida.

A medida aprovada por unanimidade, pelo Conselho de Supervisores da cidade, vem no sentido de acabar com a criação de cães e gatos considerada “inumana”, por não ter em conta “a saúde e bem-estar dos animais”.

“A maioria dos que gostam de animais ficam horrorizados só de pensar em pôr o seu amado animal de estimação numa jaula suja, nem que seja por um segundo – por uma semana, mês ou até anos nem se fala. Porém, esse é o destino de muitos animais em operações de criação comercial de larga escala por todo o país, incluindo as mães de muitos cachorros e gatinhos vendidos em lojas de animais”, justifica o Conselho de Supervisores de São Francisco.

Apesar de os criadores que já têm licenças para operar poderem continuar a sua actividade, as autoridades pretendem combater a criação intensiva de animais e incentivar as pessoas a adoptar animais abandonados.

Por Nuno Paixão Louro

Fonte: Sábado / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.