Ex-candidato a vereador é indiciado por abuso sexual contra cadelas

Ex-candidato a vereador é indiciado por abuso sexual contra cadelas
A cadela foi resgatada pela polícia - (crédito: Reprodução)

Um homem acusado de abusar sexualmente de cadelas foi indiciado por maus tratos de animais, na última segunda-feira (03/01). Após denúncias de pessoas engajadas na causa animal, Cleber Alcasae foi localizado embaixo de uma passarela de travessia da Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio de Janeiro, com uma cadela. O animal foi encaminhado ao veterinário, que constatou os abusos.

Cleber Alcasar foi candidato a vereador pelo PSOL, em Divinópolis (MG), nas eleições municipais de 2016. Sem sucesso no pleito, ele foi preso em 2017 por estupro de animais e porte de drogas. Na época, após ouvir ganidos dos animais, vizinhos quebraram o vidro da casa e filmaram o homem de cueca, com uma cadela no colo e outra na cama.

A polícia Civil informou que atualmente o homem estava morando no buraco embaixo da passarela, na região nobre do Rio de Janeiro, e que não foi preso porque não houve flagrante. Ainda segundo a corporação, a cadela encontrada com Cleber nesta semana foi alimentada e encaminhada a um veterinário, que constatou o abuso. Em seguida o animal foi levado a um abrigo.

Nas redes sociais, Cleber Alcasar se apresenta como “radialista, ator, cantor, músico, escritor, poeta, político, ser humano, heterossexual, solteiro, sem filhos e diz que ama os animais”. Além disso, ele diz ser proprietário de uma empresa chamada Sistema mãe.

Cleber foi indiciado por maus tratos a animais e pode ser condenado a até 5 anos de prisão. A operação foi coordenada pela delegada Flávia Monteiro de Barros, da 11ª Delegacia de Polícia, localizada na Rocinha-RJ.

O acusado era reincidente

Segundo o boletim de ocorrência registrado em 2017, inicialmente Cleber Alcasar era muito respeitado na cidade mineira de Divinópolis. O acusado ingressou na política concorrendo às eleições municipais após ficar conhecido pela iniciativa de recolher animais de rua.

No entanto, algum tempo depois, os vizinhos passaram a desconfiar dos ganidos constantes emitidos pelos cães na residência de Cleber. Primeiro, pensaram em maus-tratos e acionaram a polícia. Sem provas, o homem foi liberado.

A população então se organizou em vigílias e redobrou a atenção ao que acontecia no local. Após ouvirem os gritos dos animais novamente, os vizinhos quebraram vidro da casa do suspeito e flagraram o homem de cueca, com uma cachorra no colo e outra estuprada sobre a cama.

A polícia foi chamada e prendeu Cleber em flagrante. Na casa havia cerca de 15 animais, que foram retirados do local e colocados aos cuidados dos ativistas. A polícia também encontrou um invólucro plástico de cor preta com 26 pedras de substância semelhante ao crack.

O Correio tentou entrar em contato por telefone com Cleber por um número disponibilizado no site do homem, porém, não foi atendido. O jornal também manifestou o direito de resposta de Cleber por e-mail, mas até o momento não houve resposta. O espaço segue aberto para manifestações de defesa.

Fonte: Correio Braziliense

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.