Ex-YouTuber indiciado por colocar pequenos animais para alimentar cobras

Ex-YouTuber indiciado por colocar pequenos animais para alimentar cobras
Uma das cenas mostra coelho sendo oferecido para uma píton oliva (Sankei)

Na segunda-feira (26) a Delegacia de Matsubara, da Polícia da Província de Osaka, informou que encaminhou para acusação um autônomo de 33 anos, residente na cidade, por violação da Lei de Bem-Estar e Proteção de Animais.

Os vídeos postados no seu canal do YouTube mostram cenas da cobra se alimentando de pequenos animais como coelho, porquinho da Índia e hamster oferecidos por ele.

Em um dos vídeos mostrou como arrancar os dentes de um hamster com um alicate, para oferecê-lo como alimento de um lagarto.

A lei proíbe a morte ou ferimento de animais como mamíferos, pássaros ou répteis, protegidos ou criados pelos seres humanos, sem motivo. 

Embora não seja ilegal oferecer animais vivos para os pets, a lei estipula que “se tiver que matar um animal, use um método que não cause tanta dor quanto possível”.

Porém, por outro lado, têm os prós apontados por uma parte de seu público apontando ser uma “causa justa”, pois os répteis são predadores, defende.  

ONG denuncia as atitudes dos vídeos

Akiko Fujimura, diretora da ONG Nippon SPCA-Sociedade para a Prevenção da Crueldade com Animais, comentou em uma entrevista ao Sankei Shimbun que “ele estava superestimando as coisas como brincar com animais, mesmo que eles não fossem necessariamente feridos. Espero que este caso impeça esse tipo de abuso”. 

Uma série de vídeos foi excluída de seu canal em outubro do ano passado, depois de terem sido vistos por 20 mil pessoas. A ONG entrou com uma acusação criminal nesse mesmo mês.

A acusação apontou que cinco vídeos postados entre junho e agosto passado causaram uma dor irracional ao ferir ou fugir de répteis quando atacavam esses pequenos animais.

“Quis proporcionar cenas divertidas de predação legal dos répteis, mas senti que deveria parar porque não era interessante. Alguns dos protetores dos animais me disseram que seria preso. Vou encerrar sem ser preso”, comentou em um vídeo que já foi excluído.

Fontes: Portal Mie (Sankei e MBS)


Nota do Olhar Animal: É curioso que pessoas (com razão) se incomodem com o youtuber alimentando cobras com pequenos animais, mas que não vejam problema algum no sofrimento e morte impostos aos animais alvos da predação na natureza, como se para o animal vitimado fizesse alguma diferença o fato da predação ser “natural”. A única coisa que isso comprova é que nem tudo que é natural é bom.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.