Vídeo denuncia maus-tratos a animais no Frigorífico Frisa

Vídeo denuncia maus-tratos a animais no Frigorífico Frisa

Por Viviane Moreira

BA teixeiradefreitas 20140911 143357

A equipe de reportagem do Opovonews recebeu na sede de sua redação, um vídeo denunciando o horror com que são abatidos os animais dentro do matadouro Frisa, situado no bairro Colina Verde, em Teixeira de Freitas, BA.

Após a visualização das imagens, nossa equipe de reportagem esteve no Ministério Público e ofereceu denúncia ao Órgão, diante dos maus tratos evidenciados nas filmagem.

A Promotora de Justiça, Dra.Anna Kristina Lehubach Prates, recebeu os vídeos, e abriu um procedimento, enviando para os Órgãos competentes para as devidas providências.

De acordo com os fornecedores da imagem, que preferiram não se identificar com medo de represálias, o fato já vem acontecendo por cerca de 06 meses. No vídeo, é possível ver a forma cruel com que os animais são abatidos, indo para a esteira ainda agonizando e berrando numa clara demonstração de sofrimento. Segundo os denunciantes, quando esta máquina de abate, que é inadequada quebra, os animais são mortos a golpes de marreta. Na filmagem, o animal recebe mais de 10 choques e continua agonizando.

Outro vídeo denuncia ainda, a imundície que toma conta do local, onde os animais são expostos em meio a sangue e sujeira.

As imagens são fortes, o sofrimento dos animais são evidentes e chegam a causar comoção em quem assiste tamanha crueldade. A equipe do Opovonews irá acompanhar as medidas adotadas para que esta ação criminosa seja coibida.

Fonte: O Povo News

Nota do Olhar Animal: Não é possível considerar que matar um animal seja “tratá-lo bem”. Maltratar é inerente à atividade dos frigoríficos, o abate ‘humanitário” é o conto-da-carochinha propagado pelos regulamentaristas – também conhecidos por “bem-estaristas”, para suprir consumidores que dizem se importar com os animais, mas que não querem alterar seus hábitos de consumo. Mas, mesmo que não houvesse sofrimento, matar animais é no mínimo um abuso. E, portanto, tal ato teoricamente deveria ser punido com base no artigo 32 da lei 9605/98. Porém, como pesam questões de “costumes”, isto não acontece. O que está registrado nas imagens vai além do abate. Não se enquadra nem no que hipocritamente é definido como “humanitário”. Que estes requintes sejam rigorasamente punidos.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.