Expondo a crueldade chocante por trás dos cavalos ‘de sela’

Expondo a crueldade chocante por trás dos cavalos ‘de sela’

No final de abril de 2024, a Farm Animal Protection Unit (Unidade de Proteção aos Animais de Fazenda, em tradução livre) da NSPCA respondeu a uma queixa perturbadora relacionada a um cavalo de sela em um “respeitável” estábulo de Pretória, capital da África do Sul. Mas nada poderia ter preparado o inspetor nacional Van der Merwe para o sofrimento que um querido garanhão marrom, chamado “Emarelda Dearborn”, enfrentava.

A denúncia inquietante denunciava negligências e ferimentos graves que haviam deixado Emarelda Dearborn em estado crítico e incapaz de se manter em pé. O garanhão de 14 a 15 anos foi encontrado pelo inspetor gravemente abaixo do peso, coberto de bandagens e curativos, sem sequer conseguir ficar de pé sem a ajuda da equipe.

Nossas investigações revelaram que o cavalo estava aos cuidados de um proprietário de Northern Cape e que apreensões quanto ao seu bem-estar datavam de antes de abril de 2024. As investigações da NSPCA trouxeram à luz queixas envolvendo membros da Saddle Breeds Association of South Africa (Associação de Raças de Sela da África do Sul, em tradução livre) chamando a atenção para o fracasso da mesma em denunciar tais casos, permitindo assim que infratores não fossem responsabilizados.

“A intensidade de sofrimento enfrentada por esse doce gigante é incompreensível. A razão pela qual alguém permitiria que qualquer animal sofresse em um estado tão trágico, em nome do esporte e do entretenimento, é mais do que cruel e indica uma grave negligência”, comenta o inspetor nacional Van der Merwe.

A NSPCA mantém-se firme em seu compromisso por justiça para Emarelda Dearborn e de garantir que todas as partes envolvidas ​​sejam responsabilizadas. A investigação da NSPCA está finalizada e um registro de crueldade contra animais será feito em breve.

Tradução de Alda Lima

Fonte: NSPCA