Faculdade de medicina nos EUA não usará mais porcos vivos

Faculdade de medicina nos EUA não usará mais porcos vivos

Tradução de Alice Wehrle Gomide

A Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Sul irá parar de usar porcos vivos em seu treinamento de emergência após um grupo de ativistas terem reclamado sobre a prática.

O Estado da Columbia reporta que o reitor da faculdade enviou um e-mail com sua decisão no último dia 20 ao Comitê de Médicos pela Medicina Responsável. O grupo, que já tinha pedido por mudanças similares em outras faculdades, busca alternativas ao uso de animais na educação médica.

Em agosto, o grupo escreveu ao Departamento de Agricultura dos EUA dizendo que o programa instrui os alunos a cortar porcos vivos para inserir agulhas e tubos e para alargar o espaço entre as costelas para acessar o coração. Após a sessão de treinamento, os animais são mortos.

A Universidade da Carolina do Sul e o grupo Palmetto Health divulgaram uma declaração conjunta dizendo que “avanços contínuos em tecnologia da simulação fazem com que seja possível para nós realizarmos esta mudança agora”.

Fonte: Wach

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.