SP bauru leandra4 thumb

Falta de lar temporário para animais dificulta trabalho de ONGs em Bauru, SP

Protetores usam recursos próprios para resgatar cães e gatos. Prefeitura não possui abrigo público e não iniciou projeto de castração. 

Por Renata Marconi

SP bauru leandra4

Ajudar os animais parece ser uma tarefa em que a única exigência é ter amor por eles, mas nem todas as pessoas têm dinheiro, lugar e tempo para cuidar deles, já que ração, vacina, remédio, castração e limpeza geram muitas despesas. Em Bauru (SP), cidade que não possui um lar temporário da prefeitura para abrigar os animais até serem adotados, são as ONGs e protetores de animais que fazem este papel.

SP bauru leandra 7A dona de um petshop Leandra Marquezini e seu marido Carlos Rossi são algumas dessas pessoas que recolhem e cuidam dos animais na cidade. O casal mora em uma chácara que tem espaço para manter os 33 cães e 45 gatos que tem atualmente, mas mesmo assim o dinheiro que é gasto com os cães sai praticamente do bolso. “Gastamos com eles 90% do nosso salário e apenas 10% do orçamento é fruto de doações”, afirma a protetora.

Segundo Leandra, os animais que ficam na casa dela quase nunca são adotados, já que alguns são velhos, doentes e sem raça definida, o que dificulta o interesse. “Eles acabam na chácara para sempre. As pessoas abandonam na porta do pet shop e outros fazem denúncias, mas quase nenhum é adotado. O nosso grande problema não é resgatar e sim a falta de espaço por não termos um lugar municipal para isso.”

Pelo menos 20 pessoas que trabalham como Leandra para ajudar os animais em Bauru trocam experiências e ajudam um ao outro a arrecadar dinheiro e a recolher os bichos como uma “corrente do bem”. Os protetores fazem rifas e vaquinhas com o objetivo de resgatar mais cães e gatos, mas o esforço ainda não é o suficiente. “Precisamos de mais lares temporários, gente ajudando e castração gratuita. Ainda existe muita gente que compra muitos cachorros ao invés de adotar”, afrma.

Sem ajuda

Apesar de todas o esforço, os voluntários ainda passam por dificuldades para ajudar os animais. A ONG Natura e Vitae de Bauru, uma das mais atuantes na cidade, afirma que não possui abrigo para recolher animais abandonados, mas trabalha no resgate dos bichos abandonados e também ressalta a dificuldade de encontrar pessoas interessadas em adotar, lares provisórios e clínicas veterinárias.

SP bauru 10001285 564074633688785 1967173436 nA Presidente da ONG e bióloga Fátima Schroeder conta que as pessoas que costumam ajudar já estão com as casas repletas de cães e gatos e não podem mais receber animais. “Hoje a maior dificuldade é encontrar lares provisórios ou temporários que possa ajudar quando resgatamos algum animal”. Os resgates são feitos com a colaboração das Polícias Civil e Militar.

A dificuldade financeira também afeta no trabalho das ONGs que sobrevivem apenas de doações e não podem receber ajuda do poder público. “O dinheiro é usado para seguir os projetos, castrações, resgates, atendimento veterinário e outros gastos. A procura por lares temporários e adoções é divulgada nas redes sociais, assim como o pedido de ajuda veterinária”, explica. Ainda segundo Fátima, é necessário uma política pública em Bauru como uma campanha de castração, de conscientização de prevenção da leishmaniose e uma política educativa sobre a guarda responsável de animais domésticos.

A protetora Leandra ainda alerta sobre a diferença de ser protetor e acumulador dos animais. “O perigo é que muitas pessoas acabam se tornando acumuladores e não protetores, pegam animais e não dão condições para a sobrevivência deles”, diz.

SP bauru 1981817 594756633954785 2090084712 nPolíticas públicas

Em 2014, foi aprovado o programa de controle da população canina e felina em Bauru, que abre um cadastramento de parcerias com clínicas veterinárias para a realização de castrações de animais. No entanto, ainda não há um prazo estabelecido para o início do processo na cidade.

Em nota, a prefeitura de Bauru, esclarece que o Centro de Controle de Zoonose mantém em observação os animais encontrados abandonados em vias públicas e que depois de tratados são disponibilizados para adoção.

O CCZ tem capacidade de receber 48 cães de médio e pequeno porte, em celas separadas ou coletivas, o gatil tem capacidade de 30 gatos e o curral tem capacidade para 40 a 50 animais de grande porte (como bovinos, equinos, caprinos e ovinos), mas não recebe os animais de proprietários que não os querem mais.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.