Fêmea de tubarão encontrada morta em praia estava grávida de 40 filhotes

Fêmea de tubarão encontrada morta em praia estava grávida de 40 filhotes
Tubarão-martelo fêmea que apareceu morta em praia nos EUA estava grávida de 40 filhotes. Foto: City of Orange Beach Coastal Resources/Reprodução/Facebook

Uma enorme tubarão-martelo fêmea de 4,2 metros apareceu morta no último dia 20 de abril na praia de Orange Beach, no estado norte-americano do Alabama. Ela estava grávida de 40 filhotes, que também morreram.

A tubarão gestante foi puxada para a costa por banhistas, que contataram os recursos costeiros da cidade de Orange Beach. A organização relatou o acontecimento em uma postagem no Facebook.

A equipe dos recursos costeiros chegou rapidamente e conseguiu tirar da praia a carcaça do animal, de nome científico Sphyrna mokarran. A causa da morte ainda não foi confirmada, mas suspeita-se que a fêmea tenha sido vítima da pesca.

“Embora seja triste, é muito raro encontrar uma grande fêmea grávida, e os dados coletados serão extremamente úteis para aprender sobre a fecundidade do tubarão-martelo”, afirma o post. “Estamos muito gratos por nossa equipe ter conseguido tirar o tubarão da praia, protegê-lo das intempéries e congelá-lo poucas horas após a chamada inicial.”

Necropsia da família tubarão

Entusiasmados com a oportunidade rara de ver a fêmea de tubarão-martelo, os recursos costeiros contataram várias agências para verificar quem tinha disponibilidade para coletar dados do espécime.

A necropsia do animal foi realizada na manhã seguinte ao achado por um grupo de especialistas enviado por Marcus Drymon, professor assistente de extensão na Universidade Estadual do Mississippi.

Filhotes mortos da tubarão-martelo encontrada morta em praia no Alabama, nos EUA — Foto: City of Orange Beach Coastal Resources/Reprodução/Facebook
Filhotes mortos da tubarão-martelo encontrada morta em praia no Alabama, nos EUA — Foto: City of Orange Beach Coastal Resources/Reprodução/Facebook

Durante a necropsia, a equipe removeu e examinou os principais órgãos, incluindo o coração, fígado, esôfago, estômago, baço, rins e pâncreas da fêmea. Não havia sinais de trauma ou doença em nenhuma dessas partes do corpo, conforme publicação da universidade no Facebook.

Várias vértebras também foram retiradas para determinar a idade do tubarão e seu local de nascimento. O tecido muscular foi removido para descobrir hábitos alimentares e uma possível contaminação por metais pesados ​​e/ou microplásticos.

O estômago, por sua vez, estava vazio, o que não é surpreendente, pois as fêmeas grávidas geralmente se abstêm de comer, segundo o post.

Filhotes mortos da tubarão-martelo que apareceu sem vida em Orange Beach — Foto: City of Orange Beach Coastal Resources/Reprodução/Facebook
Filhotes mortos da tubarão-martelo que apareceu sem vida em Orange Beach — Foto: City of Orange Beach Coastal Resources/Reprodução/Facebook

O próximo passo agora será extrair o DNA de clipes de barbatanas retirados da tubarão-mãe para estudar a genética da população de tubarões. Os filhotes, que serão doados para salas de aula locais, também tiveram essas partes das barbatanas removidas.

Em combinação com as da mãe, as amostras serão usadas para determinar parentesco entre irmãos, visto que as ninhadas de muitas espécies de tubarões são geradas por mais de um macho — um fenômeno conhecido como “paternidade múltipla”.

Acredita-se que a atividade de pesca tenha matado a tubarão-mãe. “Sabemos que os grandes tubarões-martelo são especialmente propensos aos efeitos fisiológicos do estresse de captura, mais do que a maioria das outras espécies de tubarão. A gravidez agrava esse estresse fisiológico”, diz a publicação.

O tubarão-martelo é uma espécie criticamente ameaçada, conforme registrado na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Fonte: Galileu

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.