Festas de fim de ano aumentam abandono de animais; canil e gatil em Piracicaba (SP) estão lotados, diz prefeitura

Festas de fim de ano aumentam abandono de animais; canil e gatil em Piracicaba (SP) estão lotados, diz prefeitura
Abandono de animais aumenta no fim do ano, diz Prefeitura de Piracicaba; — Foto: CCZ/Prefeitura de Piracicaba

Com as festas e viagens de férias das famílias, o aumento de abandono de animais de estimação chega a ser de 30%, de acordo com a Prefeitura de Piracicaba. A situação preocupa já que, atualmente, o canil municipal se encontra lotado.

De acordo com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), dois fatores contribuem para aumentar o abandono de animais. Com o barulho dos fogos de artifício, muitos animais, especialmente os cães, se irritam e fogem na tentativa de escapar do estresse. Na rua, nem sempre são resgatados pelos familiares.

A segunda situação é quando a família pretende viajar e não planeja onde deixar o pet. Na última hora, acaba abandonando o animal na rua.

Segundo o CCZ, atualmente, as baias do canil e gatil estão 100% ocupadas e não há espaço para acolher mais nenhum animal resgatado na rua durante este período.

O Centro pede ainda que a sociedade se sensibilize e denuncie os casos de abandono à Polícia Militar, já que isso é considerado maus-tratos com crime previsto em legislação federal. 

Adote um pet
 
No CCZ, atualmente, há mais de 60 cães e gatos à espera de um novo lar ou tutor, sendo a maioria cão com idades variadas e que foi resgatado das vias públicas pela equipe da unidade. Os animais recebem tratamento médico, vacinação, vermífugos, além de terem sido castrados e microchipados.

Quem tiver interesse em adotar um animal, basta procurar o CCZ, que terá funcionamento especial durante o período de festas. Nos dias 24, 25, 26 e 27 de dezembro, abrirá das 7h às 12h, somente para serviços internos, sem atendimento ao público.

Nos dias 31 de dezembro, 1º, 2 e 3 de janeiro, funcionará das 7h às 12h, somente com serviços internos, sem atendimento ao público.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.