Filhos de macacos brasileiros são roubados de zoológico francês

Filhos de macacos brasileiros são roubados de zoológico francês

Micos-leões-dourados foram emprestados ao zoológico francês para favorecer a reprodução da espécie animal.

França Micos Roubados

Sete mico-leões-dourados e dez saguis-prateados que nasceram em programa de reprodução realizado a partir de macacos emprestados pelo Brasil foram roubados no fim de semana no zoológico Beauval, em Saint-Aignan-sur-Cher, na França.

A informação foi dada na noite desta segunda-feira (11) pelo diretor do zoológico, Rodolphe Delord. Segundo o diretor, os animas foram roubados entre a noite do sábado (9) e a manhã do domingo (10).

Os micos-leões-dourados foram emprestados ao zoológico francês para favorecer a reprodução da espécie animal.

“São macacos extremamente raros, frágeis, e que fazem parte de programas internacionais de reprodução”, afirmou Delord.

As circunstâncias do roubo ainda não foram esclarecidas, apesar haver câmeras de segurança, sistemas de alarme e patrulhas em todo o zoo.

“É indispensável encontrarmos estes animais rapidamente, porque, como é muito difícil alimentá-los, eles não podem ser mantidos em casa”, ressaltou Delord, acrescentando que a comercialização das duas espécies é proibida.

TWITTER

Ao pedir a devolução dos animais, Delphine Delord, também diretora do zoo e irmã de Rodolphe, acabou levando ativistas a criarem uma hashtag na rede social Twitter.

Em entrevista, ela disse: “Devolvam os animais!”.

A declaração da diretora foi ouvida pelas associações francesas de proteção aos animais ameaçados pelas mídias e pela população. Todos se manifestaram massivamente na rede social.

A hashtag #Rendezlessinges (“devolvam os macacos”) foi uma das mais líderes no ranking francês do Twitter.
Em cerca de sete horas, mais de 3.300 tuítes com essa hashtag foram compartilhados para ajudar a investigação policial.

A direção do zoológico acredita que os animais foram roubados por “especialistas” que alimentam o mercado negro de animais exóticos ou a pedido de algum comprador.

O tráfico de espécies protegidas é o terceiro maior do mundo, após o de armas e o de drogas, informou a associação francesa 30 Millions d’Amis (30 Milhões de Amigos). O grupo, dirigido pela atriz Brigitte Bardot, luta pela proteção de animais.

Segundo estimativas do governo francês, em 2014 o mercado negro de animais silvestres teria movimentado entre € 8 bilhões e € 15 bilhões no mundo todo.

Fonte: O Tempo 

Nota do Olhar Animal: Tem sido bem comum que a instituição “zoológico”, que usa a conservação das espécies como justificativa para explorar financeiramente animais confinados, não consiga impedir sequer ataques deste tipo, com animais indo parar nas mãos de traficantes, de criminosos. A “segurança” dada pelos zoos têm resultado em sequestros, ataques de animais a visitantes e fugas também aqui no Brasil. Veja outro caso de sequestro de animais, que noticiamos hoje, clicando aqui.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.