Filhote de baleia jubarte encalha no rio Sergipe

Filhote de baleia jubarte encalha no rio Sergipe

Filhote de baleia jubarte encalha no rio Sergipe. Mamíferos Aquáticos mantém equipe tentando salvar animal.

Por Cássia Santana

Um filhote de baleia jubarte está encalhado no Rio Sergipe, em local próximo às margens pela avenida Beira Mar, nas imediações do Iate Clube de Aracaju, no bairro São José, em Aracaju. A presença do animal chamou a atenção de transeuntes e o trânsito na avenida Beira Mar ficou complicado. Equipes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju (SMTT) está no local. Condutores curiosos praticamente pararam o trânsito, reduzindo a velocidade para observar a grande movimentação e até estacionando veículos em local proibido.

Uma equipe da Fundação Mamífero Aquático está no local fazendo o monitoramento do animal, que permanece vivo. Mas a chance de sobrevivência não é alta, conforme adverte a médica veterinária Jociery Parente. Ela informou que os técnicos estão monitorando o animal desde cedo, quando recebeu comunicado da presença dele em outro local. Para a veterinária, o filhote teria se perdido da mãe.

A veterinária adverte para os riscos e alerta a população para não se aproximar do animal, que poderá reagir, com movimentos bruscos, que podem atingir e ferir as pessoas. A médica veterinária informou que é um animal recém-nascido, ainda dependente de amamentação, sendo necessária a urgente localização da mãe para alimentá-lo. A ideia, conforme informações da veterinária, é retirá-lo daquela área, conduzi-lo até a barra do rio e localizar a mãe. “Mas as chances de sobrevivência não é alta, no ano passado tivermos um caso semelhante e o animal foi a óbito”, ressaltou.

SE Aracaju filhote baleia jubarte encalha rio2

SE Aracaju filhote baleia jubarte encalha rio3

A equipe da Fundação Mamíferos Aquáticos já solicitou apoio de outras instituições que já estão no local tentando resgatar o animal.

Fonte: Boa Informação (com informações da Infonet)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.