Filhote de tamanduá-bandeira é resgatado por motorista na BR-153 em Tocantins

Filhote de tamanduá-bandeira é resgatado por motorista na BR-153 em Tocantins
Filhote de tamanduá-bandeira foi encontrado às margens da BR-153 (Fotos: Naturatins/Divulgação )

Um filhote de tamanduá-bandeira foi entregue ao Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) nesta segunda-feira (2). Ele foi resgatado por uma motorista às margens da BR-153, próximo a Gurupi, no sul do Tocantins, no último sábado (31).

De acordo com a veterinária e supervisora da fauna do Naturatins, Grasiela Pacheco, ao encontrar o animal próximo à rodovia, a mulher telefonou para um primo que é biólogo. Ele indicou os procedimentos, já que o filhote estava desidratado, com fome e com frio.

“Foi quando o biólogo explicou à senhora, que oferecesse alimento adequado ao animal, e o mantivesse aquecido”, conta.

Segundo Grasiela não há informações sobre o que aconteceu com o animal, mas se sabe que a dois quilômetros do local um tamanduá-bandeira adulto atropelado foi visto, podendo ser esse bicho, a mãe do filhote.

Ao ser resgatado o animal passou pelos primeiros cuidados, quando foi constatado que não havia nenhum ferimento.

Além do filhote de tamanduá-bandeira, foram levados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Araguaína, outro tamanduá-bandeira, encontrado na região de Pedro Afonso e dois jabutis fêmeas adultos.

Linha Verde

O Naturatins orienta a população a não capturar ou socorrer animais silvestres. É possível solicitar orientação por meio da Linha Verde: 0800 63 11 55. A ligação é gratuita. As orientações também podem ser solicitadas em uma unidade da Guarda Metropolitana, no BPMA ou com as equipes dos Escritórios Regionais do Naturatins.

Filhote foi encontrado desidratado
Filhote foi encontrado desidratado
Animal foi para o Cetas em Araguaína
Animal foi para o Cetas em Araguaína
Animal precisou ser aquecido porque foi enontrado com frio
Animal precisou ser aquecido porque foi enontrado com frio

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.