Filhote de toninha é resgatado, mas morre antes de reabilitação em Santa Catarina

Filhote de toninha é resgatado, mas morre antes de reabilitação em Santa Catarina

Um filhote de toninha recém-nascido morreu após ser resgatado no Litoral Norte de Santa Catarina. Ele chegou a ser levado para Florianópolis, onde passaria por recuperação no Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (Cepram), em Florianópolis. Apesar dos cuidados, o animal morreu na madrugada do último dia 16.

A toninha foi encontrada na Praia Grande pela equipe da Universidade da Região de Joinville (Univille), que representa o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) em São Francisco do Sul.

“Esta espécie de cetáceo é bastante frágil e sensível ao estresse. Por se tratar de um filhote recém-nascido, a probabilidade de sobreviver fora de seu ambiente é baixa. A reabilitação é sempre um desafio nessas condições”, explicou em nota o oceanólogo Emanuel Ferreira, da Associação R3 Animal, responsável pelo projeto na Capital.

O filhote media 64 centímetros e pesava 3,8 quilos. A toninha é um dos menores mamíferos dos oceanos e, por isso, a espécie é pouco avistada em seu habitat. É um animal de hábito costeiro, que nada em pequenos grupos, de dois a cinco indivíduos, e tem um comportamento discreto na superfície.

Espécie é ameaçada de extinção

A toninha é o golfinho mais ameaçado do oceano Atlântico Sul Ocidental, conforme a Associação R3 Animal. Atualmente, ela é considerada a única espécie de pequeno cetáceo criticamente ameaçada de extinção no Brasil. Pode ser vista entre o Espírito Santo e o litoral da Argentina.

Apenas duas toninhas sobreviveram no país após serem reabilitadas. Uma delas foi levada à R3 Animal após ser resgatada pela equipe da Udesc, que atua no Litoral Sul do Estado. Ela foi devolvida à natureza em dezembro de 2017, depois da recuperação.

Ao encontrar um mamífero, uma ave ou tartaruga marinha doente ou morta na praia, a orientação é ligar para 0800 642 3341. O animal será resgatado por uma equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos e encaminhado para tratamento.

(Fotos: Nilson Coelho/R3 Animal 3)

Fonte: NSC Total

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.